Leia também:
X “Todo dia orei às 3h da manhã”, revela Ítalo Ferreira após vitória

Simone Biles, nº 1 da ginástica, desiste por questões psicológicas

"Eu não queria arriscar uma medalha do time, porque elas trabalharam duro demais para eu estragar tudo"

Pleno.News - 27/07/2021 15h26 | atualizado em 27/07/2021 16h46

Simone Biles Foto: Reprodução

A ginasta Simone Biles ficou fora da final por equipes do time dos Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Tóquio nesta terça-feira (27). Sem ela, o time americano perdeu o ouro para as rivais russas e não confirmou o tricampeonato olímpico da disputa. Restou a medalha de prata, e a Grã-Bretanha completou o pódio.

A maior estrela dos Jogos de Tóquio vive um drama emocional. Ela se sente pressionada por grandes resultados. Sua participação nas cinco provas individuais, na quinta-feira (29), não está confirmada. A brasileira Rebeca Andrade está entre as finalistas.

No Centro de Ginástica Ariakea, a americana de 24 anos cometeu uma falha no salto, na primeira prova por equipes, e foi retirada da disputa dos outros aparelhos. Além de problemas no tornozelo direito, a dona de quatro medalhas de ouro e de uma de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio-2016 não estaria suportando a pressão emocional e a cobrança por repetir o feito e tornar-se uma das maiores ginastas de todos os tempos.

Na entrevista coletiva após a conquista da medalha de prata, a ginasta confirmou a decisão de deixar a prova.

– Eu senti que seria melhor que eu me afastasse… Eu não queria arriscar uma medalha do time, porque elas trabalharam duro demais para eu estragar tudo.

Os Estados Unidos não perdiam uma grande competição (Olimpíadas e Mundiais) desde o Mundial de Roterdã, em 2010, quando as russas foram campeãs.

Simone Biles negou problemas físicos. Depois da desistência, ela continuou no ginásio apoiando as companheiras. A USA Gymnastics (Federação de Ginástica dos Estados Unidos) chegou a afirmar que Simone Biles havia sido retirada da decisão por motivos médicos. A ginasta confirmou que se sente pressionada.

– A saúde mental vem em primeiro lugar porque, se você não se diverte no seu esporte, você não consegue fazer as coisas que você gostaria. Preciso me concentrar no meu bem-estar. Há vida além da ginástica. Infelizmente aconteceu nesse palco. Esses Jogos Olímpicos têm sido muito estressantes. Tivemos um longo ano em uma preparação olímpica também longa. Não temos público. Estamos todos muito estressados. Nós deveríamos estar nos divertindo, mas não é o caso – afirmou a ginasta que, mesmo cometendo falhas nas fases classificatórias, conseguiu avançar para cinco finais.

O drama de Biles já vinha sendo noticiado pela imprensa americana. De acordo com o jornal The New York Times, a estrela da ginástica vive profundo estresse emocional por causa das cobranças por grandes resultados. Ela luta contra o estresse de ser a maior ginasta da história e estava com dificuldades para administrar as cobranças. Por isso, teria colocado em dúvida sua participação nas próximas provas.

As dificuldades fizeram Biles mudar até o planejamento de suas apresentações. Ela havia planejado fazer um salto em Yurchenko, com duas voltas e meia na saída. Mas mudou de ideia e executou o movimento com apenas uma volta e meia sobre o corpo. Para uma ginasta do nível dela, a falha foi grave. O salto errado foi um golpe enorme também para a equipe americana. O salto recebeu 5,0 pela dificuldade. Sua pontuação total foi de 13,766, uma nota baixa para sua habilidade na ginástica.

Nos últimos dias, Biles já tinha dado indícios dos problemas que estava sofrendo. Na segunda-feira, depois de se classificar para as finais mesmo tendo cometido falhas, ela publicou que estava sentindo um “peso nos ombros”.

– Não foi um dia fácil ou o meu melhor, mas consegui superá-lo. Eu realmente sinto que às vezes tenho o peso do mundo sobre meus ombros. Eu sei que ignoro e faço parecer que a pressão não me afeta, mas às vezes é difícil! As Olimpíadas não são brincadeira! Mas estou feliz que minha família foi capaz de estar comigo virtualmente. Eles significam o mundo para mim! – postou em suas redes sociais.

De qualquer forma, ela tem mais dois dias para se colocar de pé novamente. Se não tiver condições, possivelmente chegará a notícia de sua desistência. Se a dor pela contusão for suportável para ela, Simone poderá pedir para competir. Nenhuma outra atleta é chamada em seu lugar para as decisões.

*AE

Leia também1 "Todo dia orei às 3h da manhã", revela Ítalo Ferreira após vitória
2 Olimpíadas: Militares compõem cerca de 30% da equipe do Brasil
3 Fernando Scheffer conquista o bronze na natação em Tóquio
4 Olimpíadas: Ítalo Ferreira faz história e ganha 1° ouro do Brasil
5 Bolsonaro parabeniza Rayssa Leal: 'Orgulho para todos nós'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.