Leia também:
X Presidente do COI diz que risco de surto na Olimpíada é zero

Japão compra camas de papelão para evitar sexo entre atletas

Segundo o governo, estruturas suportam até 200 quilos

Pierre Borges - 16/07/2021 15h08 | atualizado em 16/07/2021 15h36

Cama olímpica anti-sexo
Toda a estrutura da cama é feita de papelão Foto: Divulgação

Falta apenas uma semana para o início das Olimpíadas de Tóquio, e o aumento de casos de Covid no Japão assusta o governo local e o comitê dos jogos. Nesse cenário, medidas para evitar a propagação do vírus durante o evento estão sendo tomadas, como a realização do torneio sem público. Entretanto, uma medida curiosa também foi adotada para frear o vírus: os atletas dormirão em camas de papelão para evitar que façam sexo.

Ao todo, 18 mil camas feitas com o material foram encomendadas pelo governo do Japão. Segundo o gerente geral da Vila Olímpica, Takashi Kitajima, o país estabeleceu que o conceito desta edição dos jogos será o de contribuir para a sustentabilidade, por isso a escolha das camas.

– Queremos que os atletas tenham uma boa noite de sono para que possam ter performances fantásticas. Essas camas podem suportar até 200 quilos – disse Takashi.

Entretanto, devido ao material, as camas foram projetadas para o sono de uma única pessoa e são frágeis a movimentos bruscos. A organização dos jogos chegou a distribuir 150 mil preservativos por precaução, mas orientou que os atletas os guardem para usar quando retornarem a seus países. Em 2016, foram ofertadas 3 vezes mais preservativos aos atletas nas Olimpíadas do Brasil.

Leia também1 Presidente do COI diz que risco de surto na Olimpíada é zero
2 Covid: Indústrias veterinárias são liberadas a produzir vacinas
3 Whindersson desabafa sobre morte do filho: "Dói demais"
4 Marcelo Nova detona o "fique em casa" ao vivo, na Globo
5 Médico exige ser revacinado, mas especialistas refutam teoria

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.