Leia também:
X Galvão se diz arrasado com caso Robinho: “Crime hediondo”

Robinho: Decisão diz que ‘dança sensual’ não é consentimento

Juíza responsável pela sentença também rebateu alegação dada pela defesa de que a vítima estava sóbria

Paulo Moura - 20/10/2020 11h23

Santos decidiu suspender o contrato com Robinho Foto: Bruno Cantini / Atlético

A sentença da juíza Mariolina Panasati que condenou, na Itália, o jogador Robinho a nove anos de prisão por crime de violência sexual em grupo contra uma jovem albanesa, apontou que “uma dança, mesmo sensual”, não pode ser usada como pretexto para dizer que houve consentimento antecipado para as relações entre ela e o grupo de seis pessoas em que o atacante estava.

– Não está claro como uma dança, mesmo sensual, possa induzir a um consentimento antecipado para haver relações sexuais contemporaneamente com várias pessoas, em um camarim não frequentado, em cima de um banquinho. Comportamentos que até o próprio Jairo — que pretendia proteger e defender seus amigos — definiu nada menos do que excessivo – definiu Mariolina.

O trecho da sentença foi revelado pelo portal UOL nesta terça-feira (20) e se refere a uma das alegações usadas pela defesa e que foram tidos, segundo o texto da sentença, como improcedentes. O documento divulgado pelo site traz as motivações para determinar a sentença contra o atleta e as transcrições de conversas entre os acusados.

Além da dança, a defesa dos brasileiros argumentou sobre o fato de a vítima estar “sóbria, lúcida e tranquila”, contestando que algumas declarações da jovem contrastavam com as de suas amigas sobre o consumo de bebida alcoólica. Entretanto, trechos de conversas obtidas pelos grampos telefônicos indicavam justamente o contrário, entre elas uma frase do próprio Robinho, onde ele diz que a mulher estava “completamente bêbada”.

As contradições sobre o estado da vítima seguiram quando o outro condenado, Ricardo Falco, que havia dito que a garota estava consciente às autoridades italianas, se contradiz sobre as condições em que se encontrava a vítima naquela noite. Falco responde que “naquele dia ela não conseguia fazer nada, nem mesmo ficar em pé, ela estava realmente fora de si” e Robinho confirma com um “sim”.

Leia também1 Galvão se diz arrasado com caso Robinho: "Crime hediondo"
2 Damares defende "cadeia imediatamente" para Robinho
3 Globo: Jornalistas têm números vazados e recebem ameaças
4 Após ser criticado por ativistas, Haddad apaga trocadilho
5 "O erro foi não ter sido fiel à minha esposa", admite Robinho

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.