Leia também:
X Japão: Associação médica pede Jogos Olímpicos sem público

Funcionária da Nike acusa Neymar de agressão sexual

Fato teria acontecido em 2016, durante uma ida de Neymar a Nova Iorque

Pleno.News - 28/05/2021 07h47 | atualizado em 28/05/2021 09h46

Neymar está sendo acusado de ter cometido agressão sexual contra funcionária da Nike Foto: Reprodução

Uma funcionária da empresa Nike acusa Neymar de agressão sexual, ocorrida em 2016. Este teria sido o motivo por que a marca de produtos esportivos encerrou o contrato com o jogador do Paris Saint-Germain em agosto do ano passado, sem alegar um motivo. O compromisso ainda tinha mais oito anos de duração. As informações foram reveladas pelo jornal The Wall Street Journal.

A funcionária da Nike disse a amigos e colegas que Neymar tentou forçá-la a fazer sexo oral em um quarto de hotel de Nova York, onde ela ajudava a coordenar eventos e fazia a logística para o atacante e sua comitiva. Funcionários da Nike, atuais e antigos, são citados nos documentos. Neymar nega a acusação.

– Neymar Jr. se defenderá vigorosamente contra esses ataques infundados caso alguma reclamação seja apresentada, o que não aconteceu até agora – disse a assessoria do atleta, que justificou o fim do contrato com a Nike por motivos comerciais.

Segundo matéria do jornal americano, a funcionária registrou uma reclamação para a empresa em 2018 e descreveu o incidente para o chefe de recursos humanos e conselho geral. A Nike contratou advogados da Cooley LLP para conduzir uma investigação a partir de 2019 e decidiu deixar de usar Neymar no marketing. Em 2020, a empresa encerrou seu relacionamento com Neymar depois que ele não cooperou com a investigação de Cooley, segundo depoimentos.

– A Nike encerrou seu relacionamento com o atleta porque ele se recusou a cooperar na investigação, após alegações de irregularidades apresentadas por um funcionário – disse Hilary Krane, conselheiro geral da Nike, em resposta às perguntas do jornal.

Krane disse por que que a Nike não discutiu o assunto publicamente: “Não havia um conjunto de fatos que nos permitiriam falar substantivamente sobre o assunto. Seria impróprio para a Nike fazer uma declaração acusatória sem ser capaz de fornecer fatos de apoio”. A porta-voz de Neymar disse que os dois lados estão em discussões desde 2019.

– É muito estranho um caso que deveria ter acontecido em 2016, com denúncias de uma funcionária da Nike, só vir à tona neste momento – disse.

Segundo pessoas ouvidas, representantes de Neymar contestaram o relato da mulher durante a investigação de Cooley, mas o próprio atleta se recusou a ser entrevistado pelos investigadores da Nike. Neymar esteve em Nova York em junho de 2016, data da acusação, para participar do lançamento de calçados da marca Jordan da Nike.

*Estadão

Leia também1 Por 7 votos a 4, Supremo decide anular delação de Sérgio Cabral
2 Jair Bolsonaro aciona STF contra lockdown em três estados
3 Eduardo B. rebate Doria: "Única bananinha famosa é a sua"
4 Túlio critica voto impresso e leva invertida de Carla Zambelli
5 Renato Aragão dará um 'reforço' na programação do SBT

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.