Leia também:
X PSG e Istanbul abandonam jogo após ato racista de árbitro

Fluminense abrigará jogadores resgatados de cárcere privado

Jovens receberam ajuda de clube carioca após serem salvos em uma operação da Polícia Civil

Ana Luiza Menezes - 08/12/2020 19h44

Fluminense ajudará jovens que tinham sido mantidos em cárcere privado Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Segundo informações do portal UOL, a Polícia Civil do Rio de Janeiro fez, nesta terça-feira (8), uma operação para libertar 13 jovens jogadores de futebol que tinham sido mantidos em cárcere privado por um estelionatário. Os atletas serão ajudados pelo Fluminense, que os abrigará em Xerém, no CT Vale das Laranjeiras.

Antes de serem acolhidos, os 13 jogadores terão que passar por exames de Covid-19. Depois, eles deverão ser integrados às divisões de base do clube carioca para que sejam submetidos a uma fase de testes, visando uma carreira no futebol profissional.

Os jogadores tinham sido vítimas de um golpe aplicado por Jorge Valnei dos Santos. O homem enganou jovens de vários estados e cobrou R$ 500 das famílias deles para que a vinda ao Rio fosse custeada.

Jorge foi preso em flagrante por policiais da 61ª DP, (Xerém). O local onde os jogadores eram mantidos por ele não apresentava uma estrutura mínima para moradia e treinamento.

Além de se oferecer para abrigar os meninos, que são menores de idade, o Fluminense entrará em contato com as famílias para acertar os trâmites burocráticos da permanência deles. A expectativa é que tudo se resolva até o fim de semana e os rapazes fiquem em Xerém até janeiro de 2021.

Leia também1 PSG e Istanbul abandonam jogo após ato racista de árbitro
2 Muricy Ramalho 'larga' a Globo e deve assumir cargo no São Paulo
3 Fifa confirma realização do Mundial de Clubes em 2021
4 Botafogo convida pastor e padre para fazer orações no Niltão
5 Fogo no Ninho: Justiça atende Flamengo e cancela pensões

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.