Leia também:
X Goleiro Bruno é contratado por time de várzea de São Paulo

Atleta transexual bate recorde pela 8ª vez e é contestada

Corredora que ficou em segundo lugar desabafou e disse que "não está competindo de igual para igual"

Priscilla Brito - 22/03/2023 17h15 | atualizado em 22/03/2023 17h47

Valentina Petrillo
Valentina Petrillo Foto: Reprodução/Redes Sociais

Na última semana, uma atleta transexual da Itália viralizou nas redes sociais após bater o recorde dos 200 metros rasos na categoria feminina. Valentina Petrillo, que antes se chamava Fabrízio Petrillo, conseguiu autorização para competir entre as mulheres com mais de 50 anos, após realizar um processo hormonal de troca de gênero.

A velocista, que já conquistou oito campeonatos italianos, tem surpreendido técnicos e incomodado adversárias. Cerca de 30 atletas italianos realizaram um abaixo-assinado que se debruça sobre a superioridade física de Petrillo, o que, de acordo com eles, torna a competição injusta.

Após analisar o desempenho da corredora, o estatístico Marco Alciator considerou que “a proeza de Petrillo nas competições atléticas femininas dificilmente é digna de elogios, já que, se competisse na corrida masculina, a marca não estaria nem no top 10 dos recordes”.

A atleta Cristina Sanulli ficou em segundo lugar e teve seu nome aclamado por diversos torcedores que se recusaram a reconhecer o mérito de Valentina. Em entrevista à imprensa italiana, ela disse que, atleticamente, se sente discriminada, pois não está competindo de igual para igual.

– Não nos sentimos iguais, justamente porque a estrutura física [de Petrillo] é masculina. Portanto, não estamos correndo de igual para igual. Embora o caminho [pessoal] que Valentina tomou seja respeitável… atleticamente falando não é, e por isso nos sentimos muito discriminados – desabafou.

A CARREIRA DE PETRILLO
De acordo com informações divulgadas pelo R7, Petrillo sempre teve uma carreira de êxito. Após ser diagnosticado com uma doença degenerativa dos olhos, jogou futsal e logo em seguida mudou para o atletismo.

Antes de realizar a mudança de gênero, entre os homens paralímpicos, Fabrízio havia alcançado bons resultados nos 100, 200 e 400 metros. Agora, a atleta transexual estava prestes a ir para os Jogos Paraolímpicos de Tóquio 2020 mas, a Federação Italiana impediu a sua participação.

REPERCUSSÃO
Em resposta à publicação de Valentina Petrillo, que comemorou a vitória, diversos internautas criticaram o mérito.

– Tenha vergonha! Você roubou isso de uma mulher que realmente merecia! Vergonha, vergonha, vergonha! – comentou um usuário.

Valentina Petrillo

– Ele não merece isso. Parabéns para a verdadeira mulher que ficou em segundo lugar! – escreveu outro usuário.

Valentina Petrillo

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Valentina Petrillo (@valentina_petrillo)

Leia também1 Goleiro Bruno é contratado por time de várzea de São Paulo
2 STJ nega pedido da defesa de Robinho sobre cópia de processo
3 Djokovic perde outro torneio por vacina e pode deixar de ser n° 1
4 Tite processa Neto por ser xingado de idiota e vagabundo
5 Alves escreve carta para ex-esposa: "Lamento sua decisão"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.