Leia também:
X Ronaldinho Gaúcho e seu irmão chegam ao Rio

Alesp pode vetar atletas trans em partidas em São Paulo

Assembleia deve votar projeto que estabelece "sexo biológico como o único critério para definição do gênero partidas esportivas oficiais"

Pleno.News - 25/08/2020 17h02

Tiffany Abreu, atleta trans do vôlei Foto: Reprodução

Nesta terça-feira (25), a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) deve colocar em votação um Projeto de Lei que pode vetar a participação da atleta transexual Tifanny em partidas de vôlei no estado. A previsão é de que o texto seja votado a partir das 21h.

De autoria do deputado Altair Moraes (Republicanos), a proposta visa “estabelecer o sexo biológico como o único critério para definição do gênero de competidores em partidas esportivas oficiais” em São Paulo.

Ao portal G1, o parlamentar disse que foi procurado por alguns atletas que defenderam a necessidade do projeto. Altair Moraes também falou sobre a necessidade de se ter equidade em atividades esportivas.

– Eu entendo que o esporte tem que ter equidade. Eu entendo que no esporte nós lidamos com o que é científico, o que é biológico, o que é genético. E entendo que precisaria ser feito sim porque esse é um clamor de alguns esportistas que me procuraram, federações que procuraram a gente. De pessoas preocupadas justamente por isso: de não ter o resguardo da mulher, da atleta feminina competindo com um homem biologicamente falando, que há uma disparidade muito grande. Então eu entendo que o projeto realmente é necessário pra que não aconteçam injustiças, como já tem acontecido – explicou.

Leia também1 Messi envia carta solicitando desligamento do Barcelona
2 Ronaldinho Gaúcho e seu irmão chegam ao Rio
3 Usain Bolt testa positivo para o novo coronavírus
4 Junto ao Brasil, outros 7 países aceitam volta da Libertadores
5 Deputados querem limitar atletas trans em São Paulo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.