Leia também:
X Patrícia Poeta é criticada por sua frieza com mãe de luto

Xuxa é condenada a pagar R$ 62 milhões a empresário mineiro

Leonardo Soltz reclama que a empresa Xuxa Produções se apropriou dos personagens dele

Marcos Melo - 10/01/2023 21h46 | atualizado em 11/01/2023 12h12

Xuxa Foto: Reprodução/YouTube canal Pôe na Roda

A juíza Flávia Viveiros de Castro, da 6ª Vara Civel, condenou a Xuxa Promoções a indenizar em R$ 62 milhões o empresário mineiro Leonardo Soltz, criador dos personagens da Turma do Cabralzinho em comemoração aos 500 anos do descobrimento do Brasil. As informações são da coluna de Ancelmo Gois, de O Globo.

De acordo com Soltz, Xuxa se apropriou dos personagens dele e lançou a Turma da Xuxinha Descobrindo o Brasil. O produto foi um sucesso e se expandiu para uma linha de cosméticos infantis. E foi além; se tornou revistas em quadrinhos e bichinhos de pelúcia.

O processo corre desde maio de 2004 e caso não haja o pagamento, os bens de Xuxa serão penhorados. A decisão ainda cabe recurso.

Nos autos do processo constam que Soltz teve encontros com a equipe da Xuxa em 1998 e 1999 para abordar o assunto dos personagens. Mas logo em seguida, a empresa Xuxa Produções lançou os personagens como Turma da Xuxinha Descobrindo o Brasil.

A juíza do processo, nos autos, falou sobre a falta de ética da empresa de Xuxa.

– A parte ré utiliza-se de manobras pouco éticas, levantando suspeição do perito, que é profissional idôneo, trabalhando para este Juízo e outros deste E. Tribunal, sem nunca ter tido sua reputação profissional questionada – destacou.

Leia também1 Xuxa questiona participantes do velório de Pelé: "Sorrindo?"
2 Xuxa vai evitar sertanejos que apoiaram Bolsonaro
3 Argentinos criticam Xuxa por apoio a Lula: "Ridícula"
4 Ex-relatora da CPI da Exploração Sexual Infantil parabeniza Damares e desafia Xuxa
5 Dono da RedeTV! ironiza Xuxa e defende Damares Alves

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.