Leia também:
X “O Brasil não é a casa da sogra”, diz Barroso sobre caso Telegram

Web se revolta e promove boicote massivo contra a JP

Iniciativa foi motivada pelas demissões de Bruna Torlay e Adrilles Jorge

Henrique Gimenes - 10/02/2022 09h59 | atualizado em 10/02/2022 12h09

A decisão da Jovem Pan de demitir os comentaristas Adrilles Jorge e Bruna Torlay não repercutiu bem nas redes sociais. Nesta quinta-feira (10), usuários do Twitter, inconformados, promoveram um boicote à empresa e levantaram a #BoicoteJovemPan. A tag chegou a ser o assunto mais comentado da rede social.

Torlay foi dispensada da Jovem Pan na segunda-feira (7). De acordo com ela, a demissão não era esperada, já que o clima nos bastidores da emissora era agradável e a rotina de trabalho era “muito legal”.

Já Adrilles foi demitido nesta quarta-feira (9), após ser acusado de fazer um gesto nazista durante um programa da Jovem Pan. O gesto foi feito pelo comentarista durante um debate no programa Opinião sobre o caso do podcaster Monark, que defendeu a existência de um partido nazista no Brasil.

Adrilles disse que o partido comunista teria matado mais pessoas que o nazismo e, ao encerrar, levantou a mão direita para se despedir. O gesto foi associado ao “Sieg Heil”, uma saudação nazista utilizada na Alemanha de Adolf Hitler.

Diante das demissões, a Jovem Pan passou a ser criticada e acusada de “esquerdar”.

Leia também1 "O Brasil não é a casa da sogra", diz Barroso sobre caso Telegram
2 Kataguiri pede desculpas, mas partido de Moro quer "distância"
3 Presidente da Frente Evangélica diz que foco é ampliar bancada
4 PF mira esquema de falsificação de documentos do Exército
5 Bolsonaro repudia o nazismo e pede combate ao comunismo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.