Leia também:
X Homem é detido após atear fogo em foto de Bolsonaro, na Havan

Surita: “Ninguém pode ser mais preso. É como se todos nós fôssemos o Lula”

Apresentador deu declaração durante programação da Jovem Pan

Pleno.News - 29/09/2022 19h25 | atualizado em 29/09/2022 20h04

Emílio Surita Foto: Reprodução/Jovem Pan

Eleitores não podem ser presos no país, de acordo com uma regra que começou a valer na última terça-feira (27) e segue valendo até 48 horas depois do primeiro turno de votação que acontece no próximo domingo (2). O eleitor só poderá ser preso se for pego em flagrante delito ou condenado por crime inafiançável, conforme informações da Agência Brasil.

A outra exceção é se a pessoa impedir o salvo conduto (direito de transitar) de outro cidadão, prejudicando assim o livre exercício do voto. Quem for pego praticando o delito poderá ser preso pela autoridade policial.

A regra e as exceções constam no artigo 236 do Código Eleitoral (Lei 4.737/1965).

O apresentador Emílio Surita se manifestou a respeito da regra. Ele aproveitou ainda para criticar o ex-presidente Lula (PT).

– A partir deste momento, ninguém pode ser mais preso. É como se todos nós fôssemos o Lula – falou Surita.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Pleno.News (@plenonews)

Leia também1 Homem é detido após atear fogo em foto de Bolsonaro, na Havan
2 "Reeleição e Hexa", diz Bolsonaro após apoio de Neymar
3 Atriz declara apoio a Bolsonaro: 'Não me identifico com PT'
4 Paulo Guedes revela que já foi eleitor de Ciro Gomes
5 Alckmin faz mistério sobre assumir Economia se vencer

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.