Leia também:
X Pedro Bial relata luta contra a depressão: “Não é frescura”

Record é acusada de escolher ator por dízimo e rebate

Igreja Universal publicou um comunicado sobre o caso

Jade Nunes - 29/03/2019 11h22 | atualizado em 29/03/2019 12h13

Templo de Salomão, da Igreja Universal Foto: Divulgação

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) processará a jornalista Patrícia Kogut e o jornal O Globo já que a profissional fez acusações contra a instituição religiosa.

Kogut publicou um texto acusando a IURD de vender vagas para atores que desejam participar de novelas da Record TV.

Segundo a colunista, “jovens atores aspirantes cujos pais contribuem com dízimo mais gordo” conseguem papéis de coadjuvantes em produções da emissora.

Em um comunicado divulgado à imprensa, a igreja afirma que essa é uma “gravíssima e irresponsável acusação”. Já a Record disse que “a publicação fere a honra de todos os profissionais da emissora, que vai buscar na Justiça os seus direitos diante desta mentira”.

Além do processo judicial, a Universal enviou uma nota ao jornal O Globo exigindo uma retratação “em igual espaço e destaque reservado ao texto original, nas versões impressa e online”.

Confira a nota da Igreja Universal na íntegra:

A Igreja Universal do Reino de Deus processará judicialmente a colunista do jornal “O Globo” Patrícia Kogut, além do próprio veículo. Em sua coluna desta quinta-feira (28), a jornalista acusou a Universal de vender vagas para atores que desejam participar de novelas da Record TV.

Na fake news publicada pelo jornal carioca, a jornalista escreveu que a Universal consegue colocações no elenco da dramaturgia da Record TV, a “jovens atores aspirantes cujos pais contribuem com dízimo mais gordo”.

Trata-se de uma gravíssima e irresponsável acusação, sobre a qual Patrícia Kogut não apresenta um nome, uma prova, ou uma testemunha.

Além da ousadia de espalhar uma mentira em um dos jornais de maior circulação no país, a colunista sequer procurou a Igreja para apurar a fofoca que, supostamente, ouviu.

Em nota encaminhada à direção do jornal, a Igreja repudiou o ataque promovido por Kogut, e exigiu que ela se retrate pela mentira publicada, “em igual espaço e destaque reservado ao texto original, nas versões impressa e online”. A Universal também avisou o veículo que “processos judiciais serão abertos”

Além do Globo, o site de fofocas “TV Foco” também espalhou a fake news. O veículo foi igualmente alertado que o caso será levado ao Judiciário.

Leia também1 Pedro Bial relata luta contra a depressão: "Não é frescura"
2 Atriz melhora e empresária destaca: "Deus é fiel"
3 Jornalista que acusa Globo de assédio tentou suicídio

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.