Leia também:
X Cantor faz show para vizinhos e inclui sucesso gospel

Prior, do BBB 20, é acusado de estupro por duas mulheres

Uma terceira vítima acusa o arquiteto de tentativa de estupro

Paulo Moura - 03/04/2020 15h15 | atualizado em 03/04/2020 18h02

Felipe Prior está sendo acusado de estupro Foto: Reprodução

Ex-integrante da atual edição do Big Brother Brasil (BBB), reality show da TV Globo, o arquiteto Felipe Prior está sendo acusado de ter cometido estupro contra duas mulheres, e ter tentado estuprar uma terceira, em eventos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade de São Paulo (USP). As denúncias foram publicadas pela revista Marie Claire.

De acordo com a publicação, uma das vítimas, chamada na reportagem de Themis (nome fictício), relatou às suas advogadas que após uma festa na USP, em 2014, aceitou, junto com uma amiga, uma carona oferecida por Prior para levá-las em casa. Ao deixar a colega de Themis, o ex-BBB seguiu até uma rua, onde desligou o carro.

Nesse momento, ele teria se lançado sobre a jovem, que contou estar embriagada, e a acariciado. Em seguida, Themis disse que ele a arrastou para o banco de trás do veículo e tirou a roupa dela. Mesmo após diversas negativas, ele a teria estuprado.

A jovem contou que a violência do ato foi tamanha, que ela se lesionou. O fato a fez passar diversos dias em casa, com dificuldades de locomoção.

– Simplesmente coloquei a violência que sofri debaixo do tapete por seis anos. Achei que não lidando com ela, sumiria em mim. Atrasei dois anos da minha faculdade por causa do estupro. Tranquei todas as matérias do curso porque vê-lo todos dias era torturante. Ele é um cara impulsivo, agressivo – disse ela à Marie Claire.

O segundo relato de estupro aconteceu com uma jovem chamada pela revista de Ísis (também pseudônimo). Com características similares ao do primeiro caso, Prior também teria se aproveitado do fato de que a vítima estava embriagada para consumar o ato.

Segundo Ísis, o crime aconteceu durante os jogos universitários da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) de 2018. Felipe teria chamado a garota com insistência para entrar em sua barraca, onde iniciou relações sexuais com ela, de maneira consentida. Porém, após Prior passar a agir de maneira agressiva, Ísis pediu para que ele parasse, no que não foi atendida.

Naquela mesma noite, testemunhas disseram ter ouvido uma voz feminina chorar e dizer “para, tá me machucando”. As testemunhas, inclusive, sustentaram a versão de Ísis em um documento que consta na acusação feita no Departamento de Inquéritos do Fórum Central Criminal em 17 de março de 2020, onde também está a denúncia de Themis e de uma outra vítima que acusa Prior de tentativa de estupro.

Procurada pela revista, a TV Globo afirmou ser contra qualquer tipo de violência e disse que a apuração dos fatos cabe às autoridades.

– A Globo é veementemente contra qualquer tipo de violência, como se percebe diariamente em seus programas jornalísticos e mesmo nas obras do entretenimento, e entende que cabe às autoridades a apuração rigorosa de denúncias como estas – disse a emissora, em nota.

A reportagem também procurou a assessoria de Felipe Prior. Entretanto, apesar de diversos contatos mantidos entre a equipe do arquiteto e a revista, nenhuma resposta formal foi dada para a publicação.

O paulistano foi eliminado na última terça-feira com 56,73%, em uma disputa com Manu Gavassi e Mari Gonzalez.

Leia também1 Maju Coutinho pode processar ex-diretor por racismo
2 Pyong Lee é chamado a depor sobre caso de assédio no BBB
3 Ex-BBB processa Globo e exige R$ 750 mil de indenização

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.