Leia também:
X ‘Paris é logo ali’, afirma Galvão Bueno ao negar aposentadoria

Morto há 2 anos, Caio Junqueira vence processo contra a Record

Ator pedia reconhecimento de vínculo empregatício com a emissora

Monique Mello - 09/08/2021 13h25 | atualizado em 09/08/2021 15h02

Caio Junqueira fez sucesso como o policial Neto, em Tropa de Elite Foto: Reprodução

O ator Caio Junqueira, morto aos 42 anos em janeiro de 2019, após um grave acidente de carro, venceu um processo trabalhista contra a Record, onde trabalhou entre 2008 e 2016. O ator havia entrado com o processo contra a emissora em 2017, pedindo reconhecimento de vínculo trabalhista.

De acordo com o Notícias da TV, que teve acesso aos autos do processo, a mãe de Caio, Maria Inês Torres, assumiu a ação logo após a morte do filho. No entanto, ela também veio a falecer em 2019. Então, no início de 2020, o ator Jonas Torres, irmão do artista, assumiu o processo.

Na ação, Junqueira pedia o pagamento de direitos que não haviam sido concedidos pela emissora. O ator foi obrigado a usar uma empresa jurídica para assinar o seu vínculo empregatício no ato da contratação. O acordo para fazer parte do quadro fixo da Record foi assinado em 2008, na esteira do sucesso do filme Tropa de Elite (2007), no qual o ator deu vida ao policial Neto.

Junqueira fez uma série de trabalhos na emissora, como A Lei e o Crime (2009), Ribeirão do Tempo (2010) e Milagres de Jesus (2014). Ele alegou que cumpria horário e obrigações com a Record, além de ter acordo de exclusividade.

A emissora paulista chegou a vencer a disputa judicial em primeira instância, ainda no fim de 2019, antes mesmo de o processo ser assumido pelo irmão do ator. No entanto, a defesa de Caio Junqueira recorreu, e a 8ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-1) reconheceu que existia vínculo empregatício, determinando o pagamento dos direitos.

O valor do processo ficou em R$ 60 mil, mas a Record ainda pode recorrer da decisão.

Leia também1 Assessoria de Tarcísio e Glória divulga notícia esperançosa
2 Sérgio Hondjakoff admite que mentiu e que estava em clínica
3 Gyllenhaal sobre banhos: "Cada vez, acho menos necessário"
4 Deputado cria Lei Lucas Santos para criminalizar os "haters"
5 Jogadores sobre a polêmica dos uniformes: "A CBF resolve"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.