Leia também:
X Fisco aplica multas milionárias contra 12 artistas da Globo

Melhem: “Fui tóxico, mas jamais tive relação não consensual”

Ator e diretor negou que denúncias feitas pela revista Piauí sejam verdadeiras

Paulo Moura - 05/12/2020 11h20 | atualizado em 05/12/2020 11h25

Marcius Melhem negou acusações de assédio sexual e moral contra colegas Foto: Reprodução

O ator e diretor Marcius Melhem assumiu, durante entrevista, que cometeu erros em sua relação com a colega de trabalho, Dani Calabresa, mas negou que tenha cometido qualquer ato de violência sexual. As declarações foram dadas em um conversa de Melhem com o colunista Mauricio Stycer, do UOL, e Dolores Orosco, editora do Universa.

– Fui um homem tóxico, um marido péssimo, uma pessoa que cometeu excessos ao se relacionar com pessoas do seu próprio ambiente de trabalho (…) Embora confesse meus excessos, eu jamais tive alguma relação que não fosse consensual – disse.

Durante a entrevista, Melhem também negou as acusações da revista Piauí e disse que uma semana depois da festa do Zorra em 2017, onde teria supostamente acontecido os assédios, a atriz Dani Calabresa convidou Marcius e as filhas para ir na Disney. O diretor pediu desculpas e chamou as acusações de “processos de vingança”.

– Quero assumir responsabilidade por qualquer coisa que eu tenha feito (…) Mas existem neste grupo processos de vingança contra mim – declarou.

Melhem também comentou as acusações de assédio moral dentro da Globo e reconheceu que errou ao não ter estabelecido distância dos seus subordinados. Ele disse que fez a gestão da área de humor da emissora como se todos fossem amigos íntimos.

– Hoje eu vejo o erro disso. Mas nunca inibi, coagi, demiti, persegui. Isso não existe. Não existe um relato de ‘se você não fizer isso, eu não te dou aquilo’. Isso não existe – completou.

O CASO
Relatos detalhados de 43 pessoas sobre episódios de assédio sexual envolvendo Marcius Melhem foram divulgados em reportagem da revista Piauí publicada na sexta-feira (4). As denúncias trazem episódios de perseguição contra a atriz Dani Calabresa e outras funcionárias, e reforçam o silêncio e a falta de transparência da Rede Globo ao lidar com a situação.

A reportagem descreveu uma noite em 2017, quando o elenco do Zorra se reuniu em um bar de karaokê para comemorar a gravação do centésimo episódio do programa reformulado. Dani Calabresa dançava e cantava junto do grupo quando Melhem passou a forçar aproximações físicas insistentemente.

Dani também contou que, na mesma ocasião, Melhem a agarrou na saída do banheiro. Imobilizada contra a parede, Dani virou o pescoço para evitar um beijo forçado, mas ele conseguiu lamber o seu rosto. Assustada, pediu para que ele a deixasse ir, mas Melhem colocou o órgão genital para fora da calça.

A Globo demitiu o artista em agosto depois dos relatos das vítimas. Entretanto, a nota de divulgação do afastamento não citou as denúncias de assédio, o que motivou protesto de artistas pela suposta tolerância da emissora com práticas de assédio.

Leia também1 Maria Clara Gueiros: 'Estou ao lado da Dani desde o princípio'
2 "Nunca quis ser vista como uma mulher assediada"
3 Danilo Gentili critica "silêncio da esquerda" sobre Dani Calabresa
4 Piauí detalha assédio de Melhem a Calabresa e silêncio da Globo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.