Leia também:
X DJ Alok anuncia que testou positivo para Covid e adia live

Joanna de Assis fala sobre aborto que sofreu nos estúdios Globo

Repórter emocionou seguidores com relato sobre a perda do bebê em 2019

Thamirys Andrade - 02/12/2020 12h58 | atualizado em 02/12/2020 13h08

Joana-de-assis-repórter-da-globo
“Foi tudo tão rápido e eu amei demais”, escreveu Joanna Foto: Reprodução

Um ano depois de sofrer um aborto espontâneo, a jornalista esportiva da Rede Globo Joanna de Assis fez um relato sobre o ocorrido em seu Instagram. Ela compartilhou sua experiência com os seguidores a fim de ajudar pessoas que vivem situações semelhantes ou que têm contato com quem experienciou.

– O dia 11 de novembro sempre será uma data estranha para mim. Foi o dia que eu, há exatamente um ano, ganhei uma estrelinha no céu, um bebê estrela. Outras mães que passaram pela mesma dor me ensinaram isso. Eu nem sabia o sexo desse filho, não deu tempo, foi tudo tão rápido e eu amei rápido demais – desabafou ela.

Joanna estava nos estúdios da Globo quando o aborto aconteceu. Em entrevista ao UOL Tab, ela revelou ter se assustado com a quantidade de sangue que perdeu no banheiro e que uma produtora a ajudou no local. Depois do ocorrido, as duas viraram grandes amigas.

No texto compartilhado com os seguidores, Joanna disse que no início do luto, ela, assim como outras mulheres, teve que enfrentar sentimentos de culpa. Ela se questionava se cometeu deslizes que provocaram a interrupção da gestação do bebê carinhosamente apelidado de coxinha.

– Ele me dava vontade de comer coxinha e por isso o apelidei assim – bebê coxinha. Mas o bebê coxinha tinha uma missão breve porém muito nobre na terra – me alertar sobre alguns problemas de saúde que eu tinha e não fazia a menor ideia. Foi por perder o bebê coxinha no ano passado, por sentir uma culpa enorme por isso, que eu procurei ajuda, médica e espiritual. O que eu havia feito de errado? Nada. Mas eu tinha uma lição para aprender, e a partir de agora um espírito para guiar.

UM RELATO DE APOIO PARA OUTROS
A história da repórter comoveu os leitores e auxiliou mulheres que estavam vivendo o mesmo e se sentiam sozinhas. Entre elas, uma de suas amigas, que ligou para Joanna logo após de ler o texto.

– Ela não teve coragem de contar nem para a mãe que estava grávida, porque ela estava com medo da gestação, só o marido sabia. Ela viu a publicação e me procurou. Conversamos muito sobre vários assuntos: saúde, como eu me curei emocionalmente e fui buscar ajuda. Ali eu tive certeza que que foi muito válido o que eu fiz – disse.

Joanna ainda aconselhou pessoas que querem ajudar as famílias, mas não sabem exatamente o que dizer. Depois de ouvir frases como “daqui a pouco você engravida de novo”, ela afirmou que não existe substituição.

– Não é que você perdeu uma coisa e vai lá e compra outra. É uma dor, uma perda, é um luto. (…) Se alguém te falar que perdeu um filho, é simples: diga sinto muito, mande um chocolate, uma mensagem carinhosa, um ursinho, flores… Você vai ver que isso vai ajudar muito – aconselhou.

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.