Izabella Camargo revela “puxada de tapete” na Globo

Atitude teria sido gatilho para Síndrome de Burnout

Gabriela Doria - 10/12/2019 15h07

Izabella Camargo entrou na Justiça contra a Rede Globo Foto: Reprodução

A jornalista Izabella Camargo, de 38 anos, afirmou nesta segunda-feira (9) que uma “puxada de tapete forte” e um “comentário bizarro de um dos chefes” foram gatilhos para ela desenvolver a Síndrome de Burnout que a levou a se afastar da Globo no ano passado.

Ela contou em entrevista ao programa de rádio Pânico, da Jovem Pan, que, como muitas outras pessoas sob forte estresse, ela tentou várias maneiras de lidar com a pressão. Mas, em determinado momento, esses dois acontecimentos tornaram a situação insustentável e ela chegou ao ponto do Burnout, um tipo de estresse associado ao emprego ou ao desemprego, segundo definição da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Questionada sobre quem teria puxado o seu tapete na Globo, Camargo disse que não poderia comentar e revelou apenas que é uma pessoa que, quando ela foi readmitida na emissora, se recusou a trabalhar com ela em seu telejornal.

– O outro foi um comentário bizarro de um dos chefes dizendo que meu trabalho era ‘ctrl + c e ctrl + v’ – disse, sem revelar o nome do profissional.

Camargo voltou a falar que a demissão da Globo logo após voltar da licença médica foi um choque.

– Foi um golpe, a coisa mais violenta que aconteceu na minha vida até hoje, pior que o assalto a mão armada que sofri – disse.

A jornalista foi demitida da emissora em 2018. Ela atuou por seis anos como repórter do tempo nos jornais Hora 1 e Bom Dia Brasil.

Em julho deste ano, o juiz do trabalho José Aguiar Linhares Lima Neto, da 24ª Vara do Trabalho, determinou a readmissão da jornalista, afirmando que a Síndrome de Burnout é uma doença relacionada ao trabalho e que Camargo estava no período de estabilidade.

Na época, no entanto, Izabella Camargo contou ter sido barrada pela Globo ao comparecer uma semana depois da decisão à sede da emissora, em São Paulo.

– Se eu tivesse a informação da lei, eu não teria chorado tanto – disse ao Pânico.

Prestes a lançar o livro Dá Um Tempo, Camargo se dedica a divulgar as “doenças invisíveis” causadas pelo trabalho, como o próprio Burnout.

– Eu coloquei o dedo na ferida, rompi o sistema. As pessoas param para me agradecer por ter rompido o sistema – afirmou sobre a quebra do silêncio.

*Folhapress

LEIA TAMBÉM+ Izabella Camargo detona Globo: "Pior que assalto"
+ Izabella Camargo faz acordo milionário e deixa a Globo
+ Izabella Camargo volta à Globo após determinação judicial


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo