Leia também:
X Bolsonaro prorroga programa para micro e pequenas empresas

Marcos Uchôa liga demissões na Globo a Jair Bolsonaro

Ele deu declarações durante entrevista a um podcast

Pleno.News - 25/05/2022 21h28 | atualizado em 26/05/2022 10h23

Marcos Uchôa Foto: Reprodução/Print de vídeo YouTube ESPN Brasil

Marcos Uchôa, ex-repórter da TV Globo, associou as demissões em massa na emissora ao presidente Jair Bolsonaro. Ele deu declarações durante entrevista ao podcast Inteligência Ltda.

– Eu não tinha mais contrato. Foi uma das coisas que o Bolsonaro fez… Antes, pessoas que tinham um salário melhor na Globo ganhavam como pessoa jurídica. No primeiro ano de governo, ele já foi em cima em termos trabalhistas, dizendo que isso não podia ser assim, e todo mundo passou a voltar a ser funcionário. Até o Galvão, até o Faustão – falou.

Uchôa deixou a Globo em novembro de 2021, após 34 anos na emissora. Ele também deu detalhes sobre seu pedido de demissão.

– Eu era uma pessoa contratada como outra qualquer. Não tinha um período para vencer o contrato. Pedi demissão normalmente. Expliquei que queria sair. Não tenho nenhuma mágoa da Globo. É claro que houve momentos em que quis fazer coisas que não pude fazer, porque eles não deixaram, mas é a regra do jogo – contou.

Segundo ele, a Globo passa por uma crise financeira.

– A Globo está sofrendo, como muitos meios de comunicação, com a saída do dinheiro das mídias tradicionais e a entrada do dinheiro na internet. Por exemplo, o teu programa é um adversário, um concorrente que anos atrás não existia.

Leia também1 Sergio Reis critica Globo e diz que não participaria de Pantanal
2 ESPN supera Globo e garante mais um campeonato europeu
3 Mion testa positivo para Covid e cancela gravações na Globo
4 "Não tenho vontade de ser mãe", declara Maju Coutinho
5 Elaine Bast se demite da Globo: "Não sou de me acomodar"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.