Leia também:
X “Conheci a escuridão”, diz Tiago Leifert sobre câncer em sua filha

Ex de Camila Pitanga é detida e algemada por fazer topless

Beatriz Coelho permaneceu duas horas na delegacia e foi liberada após assinatura de um termo

Thamirys Andrade - 31/01/2022 10h04 | atualizado em 31/01/2022 12h01

beatriz-coelho.jpeg - Ex-namorada de Camila Pitanga é levada a delegacia por fazer topless
Beatriz Coelho compartilhou o caso nas redes sociais Foto: Reprodução | Redes sociais

A produtora Beatriz Coelho, ex-namorada de Camila Pitanga, foi detida e levada a uma delegacia neste sábado (29), por fazer topless na Praia de Itapoã, em Vila Velha, no Espírito Santo. Na ocasião, ela teve os pés algemados e foi liberada após a assinatura de um termo.

Em entrevista ao jornal o Globo, ela conta que estava há três horas sem blusa na praia quando os agentes chegaram afirmando ter recebido denúncias de moradores.

– Estávamos [Beatriz e uma amiga] há aproximadamente três horas na praia, sem blusa. Os policiais chegaram após as 17h, quando as pessoas estavam indo embora. Solicitamos uma mulher. E, com ela, chegaram mais uns três policiais e duas viaturas. Fomos levadas para a delegacia pelos dois homens que nos abordaram. Antes de entrar no carro perguntei à policial se ela iria com a gente, e ela disse que sim, em outro carro. Porém, isso não aconteceu. Lidamos o tempo inteiro com homens completamente despreparados – disse Beatriz.

Beatriz relata ter permanecido duas horas na delegacia.

– Afirmaram que era um procedimento padrão (ferindo a súmula vinculante 11 e cometendo um ato ilícito) e que todas as pessoas aguardando naquela sala usam algema. Questionamos pelo fato de não estarmos resistindo e não apresentarmos nenhum risco, ele se irritou e disse que já estava sendo legal com a gente porque só estava algemando os pés, e não as mãos e os pés, como deveria fazer.

Beatriz afirma que ela e suas amigas foram liberadas após a assinatura de um termo de liberação e que, ao solicitarem uma cópia, os policiais teriam negado. Elas tiraram, então, uma fotografia do documento.

– Eu precisei pedir a ele, com muita calma, para que me deixasse tirar a foto, já que o termo era o único registro oficial da nossa ida à delegacia. O que passamos ontem não foi motivado apenas por machismo, mas também por homofobia, misoginia e gordofobia, visto que as duas pessoas sem blusa eram corpos LGBTQIA+ e a pessoa que estava comigo era um corpo gordo – declarou.

Ao ser liberada, a produtora compartilhou a situação com os seguidores nas redes sociais.

– O mais irônico é que, ao meu lado na delegacia, tinha um homem aguardando sem camisa. Nem dentro de uma delegacia um homem precisa estar vestido – assinalou.

Beatriz ainda reclamou dos representantes políticos brasileiros de forma geral, e pediu aos seguidores para “votarem direito”.

– Eu e minha amiga estamos liberadas, mas até que ponto é possível estar bem nesse país? Votem direito – acrescentou.

Leia também1 "Conheci a escuridão", diz Tiago Leifert sobre câncer em sua filha
2 Esposa do apresentador Léo Batista morre na piscina de casa
3 Whindersson e Popó sobem em ringue para duelo de boxe
4 Maju testa positivo para Covid-19 e fica fora do Fantástico
5 Austrália diz que Kanye West só fará show se estiver vacinado

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.