Leia também:
X Contra a Universal, motorista expulsa apresentador da Record

Doleiro revela que entregava milhões na sede da TV Globo

Esquema milionário chegava a envolver segurança pessoal e carro-forte

Gabriela Doria - 21/09/2020 08h42 | atualizado em 21/09/2020 08h43

Irmãos Marinho são apontados por doleiro Foto: Divulgação

Em nova reportagem sobre o envolvimento da família Marinho, dona da Rede Globo, com a lavagem de dinheiro, um dos doleiros que trabalhava para o grupo revelou que entregava quantias milionárias na sede da emissora, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro.

– Normalmente eram valores entre R$ 500 mil e R$ 1 milhão. [Em média] a cada 10 dias, eram 300 mil dólares [que eu entregava]. Os extratos estão com o Ministério Público desde 2018 – disse Claudio Barboza, conhecido como Tony, ao Domingo Espetacular, da RecordTV.

Tony apontou o ex-diretor financeiro da TV Globo, José Aleixo, como a pessoa que recebia as remessas de dinheiro. Aleixo foi designado para a função porque era homem de confiança de Roberto Irineu Marinho e João Roberto Marinho.

– Na Globo, com certeza [entregava o dinheiro] na sala do Aleixo. Eu sempre mandava um funcionário antes para [informar] que tinha uma encomenda para José Aleixo. Tinha que ver se ele estava ocupado, para quando minha equipe chegasse, não ficasse parada na rua com R$ 1 milhão – afirmou Tony.

A reportagem não passou despercebida pelo presidente Jair Bolsonaro. Em seu Instagram, Bolsonaro divulgou o vídeo e disse que “a família Marinho” esteve por muitos anos “no topo da cadeia alimentar da corrupção”.

View this post on Instagram

Mais informações: A família Marinho (Globo), por décadas, no topo da cadeia alimentar da corrupção. . Link no YouTube: https://youtu.be/lu9-RVSGAaM

A post shared by Jair M. Bolsonaro (@jairmessiasbolsonaro) on

O doleiro disse ainda que havia um “esquema de segurança” para transportar as quantias que envolviam seguranças pessoais, escolta armada e até carros-forte. Quando o “funcionário” ia pessoalmente levar o dinheiro, um esquema mais improvisado era utilizado.

– Se eu tenho uma entrega de R$ 1 milhão no Centro do Rio, eu dividia em três vezes. O dinheiro ia na perna dos entregadores. Eles colocavam essas meias grandes e o dinheiro ia dentro. Em cada perna eles tinham R$ 200 mil, ou seja, em “duas pernadas” eu já entregava R$ 400 mil – lembrou.

Segundo Tony, em apenas 5 anos de serviços à família Marinho, ele entregou quantias significativas.

– Nas minhas contas, eu entreguei uns 15 milhões de dólares [cerca de R$ 80 milhões em valores atuais] – revelou.

Leia também1 Ex-editor do JN: "Globo não é mais o umbigo do universo"
2 Apresentador da Record rebate críticas da Globo sobre o governo
3 Camelô luta para receber R$ 350 da Globo por figuração em novela
4 Crise na Rede Globo pode atingir até o cantor Roberto Carlos
5 Globo: João Roberto Marinho foi alvo da Receita por sonegação

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.