Leia também:
X Globo censura cena de Pantanal com indiretas a Bolsonaro

Datena é condenado na Justiça por xingar homem ao vivo

Apresentador havia reagido a uma noticia de que um motorista atirou em outro no pescoço

Monique Mello - 26/07/2022 12h18 | atualizado em 26/07/2022 13h08

Datena desabafa sobre condenação que recebeu Foto: Reprodução/Band

José Luiz Datena fez um desabafo revoltado durante o Brasil Urgente, desta segunda-feira (25), ao contar que recebeu uma condenação judicial. Ao comentar uma notícia, em 2021, sobre um homem que atirou no pescoço de outro em uma briga de trânsito, o apresentador chamou o autor dos disparos de “safado”, “canalha” e “assassino”. O homem acabou processando a Band e Datena.

– Ele estava com a mulher e o filho do lado, o sujeito foi executado com um tiro no pescoço na frente da mulher e eu que sou culpado por ter usado um palavreado muito pesado – criticou a decisão do processo que o condenou por “extrapolar os limites de informação”.

– Não é possível que o linguajar que eu tenho (…) eu chamei o sujeito de canalha. O que é o cara que atira no pescoço (do outro) com a esposa do rapaz com o bebê no colo correndo o risco dos três serem atingidos? – continuou, bastante irritado.

O motorista, que na ocorrência dirigia uma Land Rover, alegou à Justiça que o disparo foi em legítima defesa. Isto posto, ele acusou o apresentador da Band de ter distorcido os fatos na reportagem.

– Ao tecer comentários sobre o motorista, o apresentador excedeu-se nos adjetivos, lesando os seus direitos – afirmou a desembargadora Fernanda Gomes Camacho, relatora do processo no Tribunal de Justiça.

A Justiça condenou a emissora e Datena a pagar uma indenização de R$ 10 mil ao atirador. Em seu protesto, Datena evocou a liberdade de expressão.

– Eu já cansei de ficar pagando por essas decisões e calar minha boca. Isso aí não tem cabimento, não tem lógica” Uma coisa como essa não tem absolutamente lógica. Eu tenho direito total, cadê o direito de liberdade de expressão, de achar que uma pessoa que atira no pescoço de alguém que está desarmado? Ele atirou no pescoço do cara desnecessariamente (…). O cara é capaz de sair livre, leve e solto da acusação de homicídio com legítima defesa, que legítima defesa? – questionou.

O jornalista afirmou que já entrou com recurso, já que foi condenado em 1ª e 2ª instâncias.

Leia também1 Datena é multado em razão de propaganda eleitoral antecipada
2 Globo censura cena de Pantanal com indiretas a Bolsonaro
3 Fátima Bernardes: 'Não preciso declarar publicamente meu voto'
4 Repórter afirma que já foi agredido por apoiar Bolsonaro
5 Acusada de fraude, Deolane não se defende e pode perder caso

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.