CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Record TV vai exibir versão especial da novela Apocalipse

Ativista é atacada após criticar comunismo na CNN

Zoe Martinez diz ter sido desmerecida por portais de notícias

Camille Dornelles - 30/03/2020 12h22 | atualizado em 30/03/2020 12h52

Zoe Martinez falou sobre seu ponto de vista em debate na CNN Brasil Foto: Reprodução

A ativista política Zoe Martinez, de apenas 20 anos, foi convidada para participar de um debate complexo na emissora CNN Brasil com a socióloga Sabrina Fernandes. Ela defendeu a hipótese de que o Partido Comunista Chinês é responsável pela pandemia do novo coronavírus. Após o programa, porém, se viu atacada por parte da mídia.

– Na entrevista não me senti injustiçada, foi um debate muito tranquilo. Mas depois eu li reportagens no UOL e no Brasil 247 e, nossa, nada de jornalístico. Atacando um lado e outro fica como… bem, uma incógnita – declarou ao Pleno.News.

Ela se referiu a dois portais de notícias: UOL e Brasil 247. O colunista Luiz Fernando Padulla, do portal Brasil 247, por exemplo, a chamou apenas de “dissidente cubana” e “pseudo cubana”. A comentarista falou sobre esses ataques.

– O vocabulário desses portais foi bem baixo. Colocaram a Sabrina como socióloga e a mim apenas como ativista. E isso eu acho que a própria emissora (CNN Brasil) fez de propósito. Porque eles me perguntaram como eu queria ser chamada e eu disse “ativista e estudante de direito”, e essa última parte não colocaram. Então é uma diminuição, essa ideia de que você ter um diploma te põe superior. Como esse colunista do Brasil 247, que coloca que é biólogo e não sei o que mais, mas usa um vocabulário que mostra que é um desqualificado total. Formação é muito importante, mas só ter faculdade não significa nada – declarou.

Coluna do UOL criticou ativista Foto: Reprodução
Coluna do Brasil 247 minimizou fala de cubana Foto: Reprodução

Dentro do debate, a universitária usou sua vivência em Cuba como partida de seu ponto de vista sobre a política chinesa. E, ao Pleno.News, Zoe defendeu sua experiência como relevante na discussão.

– Uma pessoa que viveu dentro de uma ditadura comunista tem sim argumentos. Mais do que um sociólogo que estudou com dados manipulados por essas ditaduras. Eu vivi aquilo. A socióloga que falou comigo supõe. Ela acha que tem algum conhecimento do que a China passou – defendeu.

Mesmo frente às críticas, Zoe declarou que conseguiu passar sua opinião no programa e que depois recebeu várias mensagens de apoio de pessoas que se sentiram “de alma lavada” com a fala dela na CNN Brasil.

Leia também1 Mari Palma e Phelipe Siani, da CNN, estão de quarentena
2 Sem Gabriela Prioli, CNN anuncia novos comentaristas
3 CNN Brasil corta médico que falava mal de isolamento

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo