Leia também:
X Kim e Kanye West fazem viagem para salvar casamento

Pastor critica música que ataca apoiadores de Bolsonaro

Canção de Chico César diz que apoiadores do presidente são demônios que vão ao culto brincar "com Satã"

Henrique Gimenes - 05/08/2020 21h13 | atualizado em 06/08/2020 14h42

Pastor Estevam Fernandes Foto: Divulgação

Nos últimos dias, uma canção do cantor paraibano Chico César causou polêmica por comparar apoiadores do presidente Jair Bolsonaro a demônios e dizer que eles vão “ao culto para brincar de amigo oculto com satã”. A canção, chamada de “Bolsominions são demônios”, gerou grande repercussão nas redes sociais e foi criticada por evangélicos por intolerância religiosa.

Ao site Paraíba Online, a vereadora de João pessoa, Eliza Virgínia, disse que pretende apresentar um voto de repúdio na Câmara contra o artista.

– Ele envergonha a Paraíba. Quem está endemoniado é você e se você quiser, a gente faz uma oração e Deus tira o demônio de você – ressaltou.

Outro que fez críticas à música foi o pastor Estevam Fernandes, da Primeira Igreja Batista de João Pessoa. Para ele, é preciso evitar a divisão da população.

– Devemos fazer tudo para evitar polêmica e divisão. A gente deve ser ponte e nunca muralha ou ser estimulador do ódio – apontou.

Para o religioso,

– Tenho muito respeito a Chico César. Acho que ele é um artista excepcional. A gente vive no mundo de liberdade de expressão. Mesmo em um mundo de liberdade, a gente não pode desrespeitar os outros. E de alguma forma ou mesmo sem querer ele [Chico] ofende uma grande parte da população brasileira

Confira a letra da canção de Chico César:

Bolsominions são demônios/ Que saíram do inferninho/ Direto pro culto para brincar de amigo oculto com satã num condomínio/ Bolsominions são vergonhas/ Que pastavam distraídos/ Whisky modesto/ horror a festa/ E a risada instruída/ A bolsa de valores sem valores/ Os corpos molhados sem alma/ O sangue de barata e a raiva por toda humanidade que não quer ser salva/ Refrão: A bolsa de valores sem valores/ Os corpos molhados sem alma/ O sangue de barata e a raiva por toda humanidade que não quer ser salva.

Leia também1 Bolsonaro sanciona lei que facilita negociação de dívidas
2 Jefferson desdenha de Lula em 2022: 'Bolsonaro seguirá forte'
3 Marcelinho Carioca elogia Bolsonaro: "Cara maravilhoso"
4 STJ nega recurso e mantém Sérgio Camargo na Palmares
5 Eduardo Bolsonaro celebra recorde da balança comercial

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.