Leia também:
X Arianne: “Nova geração quer clipes com qualidade artística”

Gabriela Gomes defende que não há ministério sem igreja

Cantora participou da 14ª Expo Cristã, em São Paulo

Camille Dornelles - 29/09/2018 13h37 | atualizado em 29/09/2018 13h38

Cantora Gabriela Gomes fala sobre suas ideias e projetos futuros Foto: Pleno.News/Salvi Cruz

Durante o segundo dia da 14ª Expo Cristã, a cantora Gabriela Gomes conversou com o Pleno.News de suas ideias sobre a música gospel. Ao falar sobre pessoas que não pertencem a nenhuma denominação religiosa, a artista defendeu que “não existe ministério sem igreja e nem servir a Cristo sem servir à igreja”.

– O Evangelho começa na Igreja e termina na Igreja. Não existe isso de ministério sem Igreja, não existe servir a Cristo sem servi-la – afirmou.

Ela também criticou aqueles que não fazem parte de alguma igreja e criam seus próprios ministérios.

– Quem faz isso está servindo a si próprio ou ao diabo, mas não a Jesus. Quem não tem essa motivação de restaurar e preparar a Igreja de Jesus para a Sua volta não está preparado para ser ministro do Evangelho – continuou.

A cantora também falou sobre sua trajetória na música gospel e declarou estar admirada pela rápida ascensão que teve no último ano de carreira.

– Comecei cantando aos 7 anos num festival de música, mas Jesus me direcionou no meu propósito há pouco tempo. Hoje eu sou muito feliz de estar no centro do plano de Deus para minha vida e tenho visto o Senhor reacender a chama no coração das pessoas. Tudo o que eu fiz foi estar em Deus e Ele foi fazendo. Eu nunca orei para Deus me colocar em uma gravadora, por exemplo, mas quando vi estou aqui – relatou.

Leia também1 Fotos! Confira quem estava no segundo dia de Expo Cristã
2 Malafaia: 'Viemos falar o que o povo precisa, não o que quer'
3 Suellen Lima: "Este ano temos a chance de eleger um cristão"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.