Leia também:
X Após ser adiado, Troféu Gerando Salvação já tem nova data

A Cor Púrpura – O Musical reestreia nos palcos cariocas

O espetáculo recebeu 87 indicações e uma série de prêmios

Pleno.News - 17/01/2022 17h42 | atualizado em 17/01/2022 18h03

A Cor Púrpura – O Musical reestreia nos palcos cariocas Foto: Rafael Nogueira

A Cor Púrpura reestreia em 20 de janeiro nos palcos cariocas, depois de uma bem-sucedida temporada no Rio, em São Paulo e em Salvador. São 17 atores em cena, 90 figurinos, um palco giratório de seis metros de diâmetro e uma escada curva com sistema de traveling em volta do cenário. A superprodução fica em cartaz até 20 de fevereiro, com sessões de quinta a domingo.

Alice Walker foi a primeira escritora negra a ganhar o Pulitzer pelo seu livro A Cor Púrpura, que continua contemporâneo ao retratar relações humanas de amor, poder e ódio em um mundo pontuado por estruturais diferenças econômicas, sociais, étnicas e de gênero. O livro A Cor Púrpura foi lançado em 1982.

Com direção de Steven Spielberg, a obra foi adaptada para o cinema em 1985, recebendo 11 indicações ao Oscar. A transposição para um musical aconteceu em 2005, na Broadway. Em 2016, houve uma nova montagem, rendendo à produção 2 prêmios Tony e o Grammy de melhor álbum de teatro musical.

O musical é baseado em uma história que se passou na primeira metade do século 20 Foto: Cyntia Salles

Escrito há mais de 35 anos e vencedor dos prêmios Pulitzer, Grammy e Tony, A Cor Púrpura é um musical baseado em uma história que se passou na primeira metade do século 20, na zona rural do Sul dos Estados Unidos, com personagens típicos dessa região. Com um elenco em sua maioria escolhido por meio de testes, o musical permanece, nesta retomada teatral, praticamente com os mesmos atores.

O espetáculo apresenta a trajetória e luta de Celie (Letícia Soares) contra as adversidades impostas pela vida a uma mulher negra, na Geórgia, no decorrer da primeira metade do século 20.

Na adolescência, a personagem tem dois filhos de seu suposto pai (Jorge Maya), que a oferece a um fazendeiro local para criar seus herdeiros (entre eles, Harpho – Alan Rocha), lavar, passar e trabalhar sem remuneração.

Celie é tirada à força do convívio de sua irmã caçula Nettie (Ester Freitas) e passa a morar com o marido Mister (Wladimir Pinheiro). Enquanto Celie se resigna ao sofrimento, Sofia (Erika Affonso) e Shug (Flávia Santana) entram em cena, mostrando que há possibilidade de mudanças e novas perspectivas, esperança e até prazer.

No espetáculo, os atores precisam ter grande extensão vocal, dando conta de vários ritmos como jazz, blues, música africana e gospel. Logo na abertura da peça, há um número que lança mão de diversas sonoridades, representando o coro de uma igreja entrecruzado ao sermão do pastor. A direção musical de A Cor Púrpura é de Tony Lucchesi. São 32 números musicais, contando com as vinhetas.

– Tem uma parte do espetáculo que acontece na África. Para este momento, abri as vozes, trabalhei com polifonia, com outros sons, uma música por trás da cena – revela Tony.

SERVIÇO
A Cor Púrpura – O Musical
20 de janeiro a 20 de fevereiro de 2022
Quinta e Sexta: 20h
Sábado: 16h | 20h30
Domingo: 18h
Local: Teatro Riachuelo
Endereço: Rua do Passeio, 38/40 – Centro – Rio de Janeiro.
Classificação: 12 anos
Duração: 180 minutos
Gênero: Musical
Vendas: www.sympla.com.br
Ingressos: entre R$ 25,00 e R$ 170,00

Leia também1 Boninho dá bronca em repórter que criticou participante do BBB
2 Diretor do filme 'Não Olhe para Cima' critica Jair Bolsonaro
3 Zeca Camargo estreia na Band no mesmo horário do 'BBB 22'
4 Turma da Mônica - Lições supera Marighella e lidera bilheteria
5 Diversos famosos vão ao velório da atriz Françoise Forton

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.