Santander paga R$ 424 mil por não exibir exposição LGBT

Multa provém de polêmica após fechamento da mostra Queermuseu

Pleno.News - 21/10/2019 11h14

Farol Santander suspendeu a exposição Queermuseu em 2017 Foto: Divulgação

O Farol Santander, espaço artístico administrado pelo banco Santander em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, terá que pagar R$ 424 mil por não exibir uma exposição sobre gênero e comunidade LGBT+ no local.

O pagamento é uma multa judicial estabelecida com o Ministério Público Federal. Todo o processo na Justiça começou após o cancelamento da exposição Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira, em 2017.

Na ocasião, a exibição terminou 30 dias antes do ocorrido por causa de uma onda de protestos populares. O Ministério Público Federal então entrou com uma ação e afirmou que o Santander errou ao ceder às pressões. Com isso, seria obrigado a exibir duas mostras até junho de 2019 ou pagar uma multa de R$ 800 mil.

Elas deveriam falar sobre “questões de gênero, orientação sexual, étnicas, de raça e à liberdade de expressão”. O Farol Santander então inaugurou a exposição Estratégias do Feminino, que aborda a luta das mulheres por direitos e fala da luta de minorias.

O estabelecimento, porém, decidiu não exibir uma mostra sobre orientação sexual e aceitou a multa parcial de R$ 424 mil.

LEIA TAMBÉM+ Campanha a favor de menores em arte erótica só tem R$ 220
+ Pressão popular dá basta em mostras ofensivas à família
+ "Crença é pior que fake news", dizem artistas no Queermuseu


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo