Leia também:
X “Marxismo cultural prega a barbárie”, declara Weintraub

Toffoli suspende decreto do MEC sobre educação especial

Decisão do ministro será votada pelo plenário do STF na próxima semana

Henrique Gimenes - 01/12/2020 20h11 | atualizado em 01/12/2020 20h32

Ministro Dias Toffoli Foto: PR/Carolina Antunes

Nesta terça-feira (1º), o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu suspender um decreto do Ministério da Educação (MEC) com novas regras de educação para alunos com deficiência. A medida teve por base uma ação de inconstitucionalidade apresentada pelo PSB.

O decreto foi editado pelo governo em outubro e trazia, entre outras mudanças, a criação de escolas e turmas especializadas para atender alunos com deficiências, criando assim uma separação de outros alunos.

O texto foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e aponta que estados e municípios deverão oferecer “instituições de ensino planejadas para o atendimento educacional aos educandos da educação especial que não se beneficiam, em seu desenvolvimento, quando incluídos em escolas regulares inclusivas e que apresentam demanda por apoios múltiplos e contínuos”.

Em sua decisão, Toffoli apontou ser necessário “ressaltar a absoluta prioridade a ser concedida à educação inclusiva, não cabendo ao Poder Público recorrer aos institutos de classes e escolas especializadas para futuras providências de inclusão educacional de todos os estudantes”.

O ministro destacou ainda que “o dispositivo trata as escolas regulares inclusivas como uma categoria específica dentro do universo da educação especial, como se houvesse a possibilidade de existirem escolas regulares não-inclusivas. Ocorre que a educação inclusiva não significa a implementação de uma nova instituição, mas a adaptação de todo o sistema de educação regular, não intuito de alunos com e sem deficiência no âmbito de uma mesma proposta de ensino, na medida de suas especificidades”.

A decisão de Toffoli será submetida ao plenário do Supremo no próximo dia 11.

Leia também1 Votação no STF sobre vacinação obrigatória acontecerá no dia 11
2 Aula virtual de Lewandowski é invadida por 'Carreta Furacão'
3 Quem é o hacker português suspeito de atacar o TSE?
4 Carlos Bolsonaro chama Sergio Moro de “camisolão fofoqueiro”
5 Kajuru fala em renunciar caso o STF libere a reeleição

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.