Leia também:
X PEC propõe cobrar mensalidade em universidades públicas

Positivo pede correção de livro que ataca conservadorismo

Pais de alunos de colégio no Paraná protestaram contra o material didático

Monique Mello - 12/06/2022 16h36 | atualizado em 13/06/2022 11h30

Texto de livro de História ataca o conservadorismo Foto: Reprodução

Nesta semana, pais de alunos do Colégio Passo Certo de Cascavel, no Paraná, protestaram contra um conteúdo que foi encontrado no material didático, o qual associa o conservadorismo a movimento antidemocrático. O colégio faz parte do Grupo Positivo.

Uma das apostilas de História apresenta um texto com ataques a conservadores, os retratando como xenofóbicos, racistas, misóginos, entre outros adjetivos. Os pais dos alunos mostraram-se indignados.

O colégio, por sua vez, argumentou com os pais que o texto faz referência a movimentos do passado como nazismo e fascismo. Porém, os pais não se convenceram. O coordenador pedagógico da instituição explicou também que o professor teria “pulado” o texto ao lecionar o conteúdo.

Posteriormente, o Colégio Passo Certo se defendeu por meio de uma nota oficial.

– Esclarecemos que o texto em questão não reflete o entendimento e posicionamento da nossa instituição, que preza pela neutralidade política e respeita a pluralidade de crenças dos diferentes públicos com os quais se relaciona. Solicitamos para a responsável pela produção do material didático usado no colégio, a imediata correção deste texto, o qual será disponibilizado aos pais e alunos nos próximos dias e trabalhado pela equipe docente nas nossas salas de aula – diz o texto da nota.

Nas redes sociais, o caso foi denunciado pela jornalista Flavia Ferronato, cuja publicação foi respondida pelo Grupo Positivo, que solicitou à Positivo Soluções Didáticas, editora que produz o material, que seja feita a correção imediata.

– Solicitamos para a Positivo Soluções Didáticas, que produz o material didático usado no colégio, a imediata correção deste texto, que será disponibilizado aos pais e alunos nos próximos dias e trabalhado pela equipe docente nas salas de aula – informou o grupo no Twitter.

O sistema de ensino do Grupo Positivo foi comprado pela Arco Educação em 2019. Com isso, a Arco arrematou mais de 3 mil escolas particulares em todo o Brasil e parte da Editora Positivo. Cerca de 650 mil alunos são matriculados nas instituições.

Leia também1 "Rebater matérias enviesadas não é atacar a imprensa"
2 Luciano Hang rebate Miriam Leitão: “Vá para Venezuela”
3 Sergio Moro e outros repercutem falas de Fux sobre a Lava Jato
4 Reverendo Franklin Graham leva esperança ao povo do Rio
5 Allan dos Santos "debocha" de Moraes em motociata nos EUA

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.