Leia também:
X ‘Cara do governo é competência, honestidade e seriedade’

“Enem era ativismo político e comportamental”, diz Bolsonaro

O presidente garante que debandada não afetará a programação do exame

Pleno.News - 17/11/2021 14h55 | atualizado em 17/11/2021 15h40

Presidente Jair Bolsonaro em Manama, Bahrein Foto: PR/Alan Santos

Nesta quarta-feira (17), durante viagem a Doha, no Catar, o presidente Jair Bolsonaro fez comentários sobre a formulação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ele afirmou que havia “temas esquisitos” no passado e negou ter tido acesso às perguntas do exame a ser aplicado nos próximos dias em todo o Brasil.

– Olha o padrão do Enem do Brasil, pelo amor de Deus. Aquilo mede algum conhecimento, ou é ativismo político e comportamental? Não precisa disso. Você gostava do sistema do passado? Você tem família, filhos? Pelo amor de Deus, que temas esquisitos no passado! Acaba com isso – disse Bolsonaro, durante entrevista a jornalistas, depois de passear de moto com apoiadores no Catar.

Dias antes, o presidente havia afirmado que as perguntas do Enem terão “a cara do governo”, o que provocou forte reação política. Pelo menos 37 servidores ligados à formulação do exame pediram demissão às vésperas da aplicação, alegando interferência política do governo, mas o presidente garante que a debandada não afetará a programação do Enem.

COPA DO MUNDO
Bolsonaro e ministros se reuniram com o emir do Catar, xeique Tamim bin Hamad Al Thani, para tratar de investimentos e negócios, principalmente na área de defesa e infraestrutura.

Eles visitaram o Estádio Lusail, que será a sede da partida final da Copa do Mundo Fifa 2022. Bolsonaro disse que o governo do Catar defende a alteração na periodicidade do torneio, bem como do Mundial de Clubes, e indicou que vai conversar sobre o tema com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A proposta catariana é realizar a cada dois anos a Copa do Mundo, em vez de a cada quatro, como ocorre atualmente, e que o Mundial de Clubes tenha 24 equipes, como planeja a Fifa.

– A CBF é que vai dar o norte de como proceder. Opinião minha como peladeiro: a Copa do Mundo de dois em dois é bem-vinda, ajuda no aspecto econômico. Sou apenas um torcedor apaixonado por futebol. O que a CBF decidir, estou com eles – disse Bolsonaro.

*AE

Leia também1 'Cara do governo é competência, honestidade e seriedade'
2 Saiba como calcular o 13° salário e até quando será o pagamento
3 Diária de Bolsonaro em hotel de luxo no Catar é cortesia do sheik
4 Doria lança jingle para prévias: 'Doria disparou', e vira piada
5 Michel Temer defende adoção do semipresidencialismo em 2022

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.