Leia também:
X Marinha recolhe óleo de mais 3 cidades do Rio de Janeiro

Criança sem vaga em creche terá bolsa de R$ 100 em SP

Projeto do prefeito Bruno Covas quer beneficiar 40 mil crianças

Camille Dornelles - 25/11/2019 13h11

Aumento de creches é uma das metas do MEC para 2022 Foto: Agência Brasil/Rovena Rosa

A prefeitura de São Paulo anunciou a criação de uma bolsa para crianças que não têm vagas em creches municipais. O prefeito Bruno Covas, autor do projeto, quer beneficiar cerca de 40 mil crianças entre 0 e 3 anos de idade.

Atualmente, a fila de espera das creches em São Paulo é de 70 mil crianças, mas a prefeitura quer criar 30 mil vagas novas até o fim da gestão Covas. A bolsa a quem ficar de fora será de R$ 100 por mês.

A prefeitura prevê como obrigações para as famílias beneficiadas a participação dos pais ou responsáveis em atividades de orientação sobre parentalidade e cuidados com a primeira infância e o cumprimento do calendário de vacinação da criança, conforme orientações do Ministério da Saúde.

– Estamos dando condições às famílias em situação de vulnerabilidade para que consigam suprir as necessidades básicas das crianças que não estão matriculadas em unidades da rede municipal. Contamos com o apoio da Câmara Municipal para a discussão deste projeto e sua efetiva implantação já em 2020 – afirmou o secretário municipal de Educação, Bruno Caetano, em nota.

Neste mês, a gestão Covas já anunciou outra medida para tentar turbinar a criação de vagas, o programa Mais Creche. Pelo projeto, crianças em situação de vulnerabilidade poderão obter vagas em escolas particulares com valor de até R$ 727 por mês. O aumento do número de creches é um dos projetos do MEC.

*Folhapress

Leia também1 Damares anuncia canal de denúncias para escolas
2 Dona de creche escondeu 26 crianças atrás de parede falsa
3 Governo já arrecadou R$ 78,6 bi com privatizações em 2019

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.