Leia também:
X Professora que acusou Bolsonaro de matar Marielle é demitida

Brasileira professora de Libras concorre ao Nobel da Educação

Doani Bertan está entre os dez finalistas do prêmio de 1 milhão de dólares

Thamirys Andrade - 12/11/2020 12h21 | atualizado em 12/11/2020 16h19

Prêmio reconhece educadores que criam práticas pedagógicas inovadoras Foto: Reprodução

Doani Emanuela Bertan começou a sonhar com as salas de aula ainda nas brincadeiras de infância. Era apenas uma criança quando aprendeu o abecedário em Libras no programa da Xuxa e se encantou pela língua de sinais. Hoje, o ensino inclusivo da educadora a colocou entre os dez favoritos para o Global Teacher Prize, o Nobel da Educação Mundial. O prêmio da Varkey Foundation em parceria com a UNESCO valoriza práticas pedagógicas inovadoras anualmente. Em 2020, foram cerca de 12 mil inscritos de mais de 140 países. O vencedor levará 1 milhão de dólares.

CONHEÇA DOANI
Tendo como inspiração a sua mãe, a paulista de origem humilde sempre foi incentivada a estudar.

– ‘A educação transforma’, costumava dizer minha mãe. Ela caminhava uma hora conosco até a biblioteca para que tivéssemos acesso aos livros – relatou ao R7.

Antes de se tornar profissional de educação especial e língua portuguesa, Doani percorreu um longo caminho. Foi catadora de papelão, artesã e telefonista até que fez um curso de Libras aos 18 anos. Assim, conheceu as dificuldades enfrentadas por pessoas com deficiência auditiva e decidiu se tornar educadora. Primeira em sua família a ingressar em uma universidade de Pedagogia, hoje Doani leciona na EMEF Júlio de Mesquita Filho, Campinas, SP. A escola se destaca pela grande quantidade de alunos com problemas auditivos. Foi ali que nasceu a ideia inovadora do Sala8, o projeto que levou Doani a se tornar uma dos dez melhores professores do mundo.

– Durante as atividades de casa, as crianças têm dúvidas, sentem dificuldades ou se esquecem de como realizá-las. O que é muito normal por serem crianças. Eu os ajudo, respondendo suas dúvidas por vídeos. Nossa comunicação é muito boa. Mas há um problema. Dependendo do dia, eu não consigo respondê-los prontamente, pois permaneço o dia todo na escola, em aula. Depois de muito pensar, cheguei a uma estratégia para auxiliá-los. Surgiu a ideia! Em meu tempo livre, poderia fazer vídeos com o resumo das aulas e enviá-los aos meu alunos para que pudessem assistir em suas casas, lembrando-os do que foi visto na escola, e dessa forma, auxiliando-os em seu desenvolvimento.

Hoje com 7 mil inscritos no YouTube, o Sala8 é acessado por pessoas de mais de 10 países. O projeto disponibiliza material gratuito sobre Português, Ciências, Geografia, Matemática e História para alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental. Se ganhar o prêmio de 1 milhão de dólares, Doani planeja investir no projeto e ampliá-lo para todo o Ensino Médio.

A cerimônia de premiação acontecerá no dia 3 de dezembro, apresentada pelo comediante, ator e escritor inglês Stephen Fry. Transmitida no Museu de História Natural de Londres, será a primeira vez que acontece online, devido à pandemia da Covid-19.

Além, da brasileira, os 10 finalistas são o italiano Carlo Mazzone, a vietnamita Hà Ánh Phượng, o britânico Jamie Frost, a estadunidense Leah Juelke, a sul-africana Mokhudu Cynthia Machaba, o nigeriano Olasunkanmi Opeifa, o indiano Ranjitsinh Disale, o malaio Samuel Isaiah e o sul-coreano Yun Jeong-hyun.

Leia também1 Aulas online: Veja as variadas situações e memes por EAD
2 Colégio "inova" e adota terceiro gênero: "Querides alunes"
3 Professora se emociona com aluna que não pôde fazer lição
4 Professora que acusou Bolsonaro de matar Marielle é demitida
5 Olimpíada Internacional de Matemática: Brasil fica no Top 10

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.