Pesquisa de satisfação: avalie-se!

Virgínia Martin - 07/01/2019 16h41

É cada vez mais comum o procedimento do pós-venda em que empresas desejam saber qual o nível de satisfação de seus clientes. Via online, redes de hotéis, como o Booking.com enviam pesquisa com itens diversos para que os hóspedes avaliem variados serviços. Basta usar algo ou algum lugar e o sistema automático de pesquisa já entra em funcionamento.

Ou mesmo em lojas físicas e bancos é possível ver as máquinas que ficam nas portas de saída. Elas apresentam botões com cores e números que aferem o grau de contentamento do cliente após o consumo.

É fato de que estamos cada vez mais sendo consultados diante de um mercado que quer saber em que pode melhorar para vender mais. Estratégias de marketing vão sendo testadas e aperfeiçoadas. E vamos nos tornando instrumentos de verificação.

Mas e quanto ao nosso próprio recurso de auto-avaliação? Eu e você, por acaso, temos uma espécie de procedimento que possa medir o nível de satisfação interno e externo? Na virada de 2019 sobram propostas de mudanças: projetos de emagrecimento com redução de consumo de doces, planos de trabalho com alvos de curto-médio-longo prazos… E tudo se resume ao redor do clima de recomeço.

Como, porém, diferenciar sonhos de delírios? De que forma é possível fazer um inventário da trajetória de vida sem achismos? Qual o melhor caminho para suprir demandas e detectar problemas? Antes de tudo, será útil fazer a tal auto-análise. No mundo corporativo, é comum que empresas apliquem o questionário PFOA (potencialidades, fraquezas, oportunidades e ameaças) a fim de conhecer melhor tudo o que envolve os produtos ou serviços que oferecem.

Não somos exatamente uma empresa, mas representamos um grande patrimônio: nosso nome e a história que construímos. Portanto, vale avaliar quais são nossas potencialidades, nossas fraquezas, nossas oportunidades e também quais são nossas maiores ameaças. Só a partir desta percepção é que poderemos percorrer um novo ano de forma mais clara e objetiva.

Se a indústria de consumo se preocupa com seu sucesso, muito mais você deve se preocupar com o seu. Afinal, você vale mais!

 

Virgínia Martin é editora-chefe do Pleno.News. Formada em Jornalismo, com pós-graduação em Propaganda e Marketing, em Comunicação Empresarial e em Pedagogia, tem mestrado em Multimeios.

LEIA TAMBÉM+ Tem gente que sente inveja de quem tem fé
+ Quem foi que elegeu este presidente?
+ Dia do professor ou do profissional de risco?


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo