CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Pare de investir em um mundo que não existe mais

Novela incomoda com situação de transplante de órgãos

Virgínia Martin - 18/04/2018 10h09 | atualizado em 18/04/2018 11h00

 

Do Outro Lado do Paraíso sensibiliza sobre campanhas de doação de órgãos Foto: Divulgação Ministério da Saúde

Se neste caso, a arte imita a vida, temos um panorama real e dramático sendo retratado na novela Do Outro Lado do Paraíso, da Rede Globo. Assisti ao capítulo de ontem (17) e fiquei estarrecida com a situação. Sim! Todos nós, os seres mais sensíveis, tendem a ficar assustados. A falta de doadores é tamanha que na ficção citada, uma mãe precisa correr risco de morte a fim de doar seu rim para uma filha que possui apenas um.

Imediatamente, lembrei de um amigo de escola, o Juninho, que morreu por não conseguir receber um coração novo. Na época (ensino fundamental), eu não entendia a dimensão do problema. Eram tempos de pouca informação e conscientização sobre o tema: doação e transplante de órgãos. Hoje, após o episódio novelesco, percorri algumas páginas para compreender a realidade e consequente angústia dos brasileiros dependentes de um transplante para sobreviver.

De fato, os dados são alarmantes, sendo o rim o órgão com maior dificuldade de acesso. As últimas estatísticas são do Sistema Nacional de Transplantes (SNT). Só na lista de espera de ativos por um rim existem mais de 20 mil pessoas, provavelmente pensando que a esperança é a última que morre. Que ironia!

Bem, preciso dizer que fiz a decisão de doar meus órgãos há anos, informando minha família. No Brasil, o transplante só pode ser feito com a autorização dos familiares, a chamada doação consentida. Mas descobri que existe um programa, coordenado nacionalmente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e executado pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS). A iniciativa fornece uma certidão (sem validade jurídica) que atesta a vontade de voluntários em doar órgãos, células e tecidos. Basta preencher um formulário virtual, receber a confirmação e ter sua certidão impressa. Gostei! Farei e incentivo você a fazer o seu!

Em setembro do ano passado, o Ministério da Saúde lançou a campanha A Hora de Lembrar, com o slogan Família, Quem Você Ama Pode Salvar vidas. A proposta de conscientização segue seu rumo: sensibilizar cada vez mais as famílias a autorizarem a doação de órgãos de seus entes queridos que faleceram, dando uma nova oportunidade de viver para outras pessoas.

Certamente, a personagem Adriana será salva por sua mãe Elizabeth. Mas e a fila que não anda, como estará no próximo dia de luta?

 

Lista de espera ativos
Junho 2017
Coração 309
Fígado 1249
Pulmão 191
Rim 20850
Pâncreas 24
Rim/ Pâncreas 524
Córnea 10,434

Fonte: SIG e SIG SP

Virgínia Martin é editora-chefe do Pleno.News. Formada em Jornalismo, com pós-graduação em Propaganda e Marketing, em Comunicação Empresarial e em Pedagogia, tem mestrado em Multimeios.

Leia também1 Plano de Saúde poderá cobrar franquia além da mensalidade
2 Fiocruz promove Oficina Pedagógica para professores
3 Barrichello revela que fez operação para retirar tumor