Leia também:
X Magalu tem prejuízo de R$ 35,9 milhões no 4° trimestre de 2022

Tribunal de Justiça retira sigilo do caso envolvendo Americanas

Dados serão disponibilizados para consulta pública

Pleno.News - 12/03/2023 11h27 | atualizado em 13/03/2023 13h28

Lojas Americanas Foto: Reprodução/Record TV

O juiz Paulo Assed Estefan, titular da 4ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, determinou, neste sábado (11), o fim do sigilo envolvendo os processos relativos à recuperação judicial da Americanas. Ele também liberou o detalhamento de um financiamento especial que a rede de varejo busca, conhecido como DIP.

– Serão disponibilizadas para consulta pública as informações referentes à averiguação realizada pela Preserva-Ação Administração Judicial, do advogado Bruno Rezende, e do Escritório de Advocacia Zveiter sobre as inconsistências contábeis apresentadas pelo Grupo Americanas – ressalta a decisão do magistrado.

O juiz também liberou a consulta aos detalhes do financiamento DIP, um tipo de empréstimo específico para empresas com problemas financeiros. A Justiça do Rio aprovou, em fevereiro, um empréstimo de R$ 2 bilhões, dos quais os acionistas de referência da Americanas, Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles, haviam se comprometido a colocar R$ 1 bilhão. O restante seria captado no mercado, mas o detalhamento estava até agora sob sigilo.

Nos últimos dias, o trio aumentou o valor da capitalização que planeja fazer na rede para R$ 10 bilhões, já incluído neste valor o DIP. Os bancos, porém, ainda não chegaram a um acordo, pois querem uma quantia maior, na casa dos R$ 15 bilhões.

Na decisão de derrubar o sigilo, o juiz afirma ter levado em conta “o relevante interesse econômico e social envolvido” na recuperação judicial da Americanas, que anunciou em janeiro um rombo de R$ 20 bilhões e dívidas que superam R$ 40 bilhões.

Na decisão deste sábado, o juiz Paulo Assed Estefam, também determinou que o cartório da 4ª Vara Empresarial cadastre todos os advogados habilitados pelos credores do Grupo Americanas para que possam ser intimados e, assim, acompanhar as decisões proferidas nos autos do processamento de recuperação judicial.

A Americanas ainda não se manifestou sobre a decisão da justiça carioca.

*AE

Leia também1 Juro alto sacrifica população de baixa renda, afirma Marinho
2 Americanas confirma proposta para aumento de capital
3 Americanas publica carta aberta e avisa que vai ter Páscoa
4 Senado pode chamar presidente do BC para falar sobre juros
5 Valores a receber: Maior quantia resgatada é de R$ 749 mil

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.