Leia também:
X Vereadora do PT protesta contra estátua da Havan em Natal

SP: Marca Daslu é vendida por R$ 10 milhões em leilão

Nome do comprador não foi revelado

Pleno.News - 07/06/2022 16h19 | atualizado em 07/06/2022 16h44

Prédio da loja Daslu em 2005 Foto: EFE/Caetano Barreira

Nesta terça-feira (7), os direitos de uso da marca de luxo Daslu foram vendidos por R$ 10 milhões, em um leilão realizado na cidade de São Paulo. As informações são do portal G1.

O nome do comprador não foi revelado. O novo dono poderá usar comercialmente o nome Daslu para vender roupas, sapatos, joias e outros produtos.

A compra garantiu também o direito de uso de marcas relacionadas, como Daslulu (roupas de animais de estimação), Villa Daslu (decoração de festas e organização de eventos), e D Teen by Daslu (cosméticos e roupas para adolescentes).

Além do lance de R$ 10 milhões, o comprador teve que pagar R$ 500 mil para cobrir taxas cobradas pela empresa leiloeira, de 5%.

A Daslu era uma loja de artigos de luxo que, em 2005, foi investigada pela Polícia Federal (PF) por sonegação de impostos na importação de produtos. O empresário Antônio Carlos Piva de Albuquerque, condenado por crimes tributários à frente da Daslu, foi preso no último dia 30 de maio.

De acordo com o Ministério Público (MP), Antônio Carlos era diretor do setor de finanças da butique de luxo na época dos crimes. Ele é irmão da empresária Eliana Tranchesi, ex-dona da Daslu, que morreu em 2012, e foi condenado a sete anos e oito meses de prisão, em regime fechado, por crimes contra a ordem tributária.

Leia também1 "Decreto de calamidade não está descartado", diz Bolsonaro
2 Prefeitura confirma carnaval fora de época em São Paulo
3 FGTS: Saque para nascidos em novembro começa na quarta
4 Carlinhos Maia: Polícia divulga imagens de suspeitos do furto
5 Funcionário é morto por chefe após tomar café fora do horário

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.