Leia também:
X Justiça diz que não investiga cidadãos e nem faz ‘dossiês’

Senadores denunciam acordos para barrar redução de juros

Senadores Alvaro Dias e Jorge Kajuru fazem alerta sobre abusos de bancos

Camille Dornelles - 06/08/2020 17h14 | atualizado em 07/08/2020 15h08

O senador Alvaro Dias Foto: Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom

O Senado Federal realizou uma sessão virtual nesta quinta-feira (6) e aprovou duas propostas de lei que beneficiam clientes de bancos. Um projeto do senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) prevê redução de juros do cheque especial para 20% anual, enquanto outro, do senador Alvaro Dias (Podemos-PR), limita juros rotativos do cartão de crédito para 30%.

– Neste momento dramático de crise de vida, muitas vezes pessoas levam comida para casa com cartão de crédito, não é possível admitir a presença dessa usura, dessa agiotagem oficializada, desta exploração sem limites. Estamos legislando apenas para o período da pandemia. Os bancos continuarão tendo lucro, certamente, com esta taxa de 30% ao ano. E nós tiraremos da armadilha hoje aqueles que se afundam nessa armadilha com cobrança excessiva. Esse oligopólio de apenas cinco bancos que dominam o país é responsável por 90% do crédito. Basta que se reúnem ao redor de uma mesa e decidam quanto querem ganhar e qual a taxa de juros que desejam cobrar? Nós temos que colocar um freio de arrumação – declarou Alvaro Dias nas redes sociais na sessão.

O senador Jorge Kajuru também mostrou apreensão, fez uma crítica forte e uma denúncia preocupante a favoráveis da medida.

– Muitos sabem a minha opinião sobre o assunto: que é, banco é um negócio melhor do que crime organizado. Eu não generalizo, mas a maioria dos bancos são canalhas! A verdadeira acepção da palavra. Só (pensam em) lucro, lucro, lucro, amor ao próximo zero, pensamento na população carente zero e juros, juros, juros. Os bancos já estão informando que eles estão “tranquilos”. Têm a consciência que vão perder no Senado, mas na Câmara dos Deputados não vai ser aprovada. E outra notícia triste: os bancos canalhas privados (querem que eu dê nomes? Bradesco, Itaú…) falam que, mesmo que haja a aprovação também na Câmara, o presidente Jair Bolsonaro irá vetar os projetos. Eu não posso acreditar! – revelou.

Na mesma publicação, Kajuru denunciou a ausência do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, nas sessões virtuais.

View this post on Instagram

AOS BANCOS CANALHAS, SEU PROJETO POLÊMICO VAI PARA A PAUTA AMANHA E OUTROS ASSUNTOS RÁPIDOS

A post shared by Jorge Kajuru (@senadorkajuru) on

Leia também1 Guedes diz que Brasil está longe da depressão econômica
2 Kajuru: "Legislativo deveria abrir mão do Orçamento"
3 Datena se filia ao MDB e pode ser vice na disputa em SP
4 Jorge Kajuru recebe alta de hospital e já está em casa
5 Copom faz novo corte e taxa de juros cai para 2% ao ano

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.