Leia também:
X Guedes nega que Brasil esteja desvalorizando o Real

Saiba por que Curitiba é a nova aposta dos investidores

Cidade é uma das 21 ao redor do mundo com maior expansão econômica e revolução digital

Rafael Ramos - 04/12/2019 17h13 | atualizado em 04/12/2019 17h27

Curitiba se tornou alvo de investimento de empreendedores Foto: Reprodução

Reconhecida em 2019 pelo Intelligent Community Forum (ICF) como uma das 21 cidades de maior expansão econômica e revolução digital, Curitiba é considerada uma Smart City ou Cidade Inteligente, alcunha conquistada também em 2011 e 2012. O site do ICF destacou as obras de planejamento urbano, saneamento e serviços disponíveis à população, como saúde, educação, bibliotecas e instalações esportivas, como pontos favoráveis para a capital do Paraná.

Outro ponto destacado é o chamado trânsito verde, em que os ônibus viajam em faixas separadas do restante do tráfego e fornecem bilhetes eletrônicos para pilotos e gerenciamento de frota via banda larga móvel 3G. De acordo com o Plano Nacional de Banda Larga do Brasil, a cidade está implementando uma cobertura sem fio para fornecer acesso gratuito à internet em bairros de baixa renda.

Por meio do Technoparque de Curitiba, 55 faculdades e universidades contam com tecnologias inovadoras para transformar a produção intelectual. De 2008 a 2009, Curitiba teve um crescimento de suas empresas de alta tecnologia em 7%, o que gerou uma renda per capita média 86% maior que a do Brasil.

Devido a esses fatores, Curitiba tem sido considerada uma cidade teste para os negócios, principalmente para startups. Um dos que tem apostado na região é o empreendedor Guido Jackson, que trabalhou na criação de dois aplicativos: o Pip, voltado para o compartilhamento de receitas; e o Anthor, que conecta repositores, indústrias e empresas do setor varejista.

Guido Jackson é desenvolvedor do aplicativo Anthor Foto: Divulgação

Membro da Young President’s Organization (YPO), organização global que reúne CEO’s para troca de experiências e conhecimentos, e da The Founder Institute, voltada para o desenvolvimento e crescimento de startups, Guido lançou o Anthor no início de 2019 e conta com mais de 600 estabelecimentos cadastrados, mais de 100 marcas atendidas e mais de 10 mil downloads realizados.

O app surgiu através da análise das dificuldades que as indústrias têm para conseguir ter seus produtos expostos no varejo de forma economicamente viável. Por isso, Guido Jackson, juntamente com seu sócio Edouard Thomé, resolveram criar uma ferramenta que conectasse repositores, indústrias e varejistas, de forma que garantisse uma reposição inteligente nas gôndolas e evitasse a perda de venda por falta de produtos nas prateleiras.

Com planos de crescer cada vez mais no mercado brasileiro, o empreendedor destaca que o PIB de Curitiba foi um dos fatores que contribuíram na hora de escolher a cidade para desenvolver o aplicativo.

– Curitiba reúne uma grande rede e investidores anjos, a Curitiba Angels, com ideias inovadoras e que trocam experiências entre si, além de um mercado aberto para novidades do setor empresarial e um público consumidor em busca de novos produtos e serviços. Queremos fazer do Anthor a opção que garanta gôndolas sempre cheias, repositores gerenciando suas próprias agendas e com faturamento cada dia maior. A ferramenta busca se tornar uma excelente opção de renda, agregando muito mais lojas do que o sistema atual permite por suas limitações de custo – disse o CEO ao Pleno.News.

O executivo-chefe de segurança da informação Mario Toews enxerga essa preferência dos empreendedores por Curitiba como reflexo da constante transformação urbana, econômica e social. Além disso, a região vive uma forte ascensão tecnológica, o que gera um rico ambiente para mentorias nas áreas de marketing, finanças, gestão, indústria e inovações.

– Curitiba é considerada uma cidade moderna, ecológica e sustentável, busca constantemente através da tecnologia soluções que favoreçam diversos setores importantes à sociedade, como transporte, segurança, infraestrutura, mobilidade, saúde, educação, energia, fazendo com que os recursos sejam melhor aproveitados. Estes são critérios essenciais para atrair o desenvolvimento de negócios, voltados à economia criativa, desenvolvimentos sustentáveis e tecnologias inovadoras. A região possui uma diversidade de etnias e culturas importantes, principalmente como resultado das imigrações ocorridas no século passado, onde alemães, poloneses, ucranianos, italianos e outros vieram em busca de oportunidades – declarou o executivo ao Pleno.News.

Mario Toews destaca a forte ascensão tecnológica vivida por Curitiba Foto: Divulgação

Outros pontos positivos da cidade se referem à sua localização. Afinal, Curitiba está situada próxima a São Paulo e importantes polos industriais do sul do país. Além disso, ela conta com uma boa malha rodoviária e acesso facilitado ao litoral e ao porto de Paranaguá. O aeroporto da capital também foi recentemente ampliado e modernizado, oferecendo capacidade de atender às necessidades da região, tendo acesso aos principais mercados consumidores do Brasil e do Mercosul.

Toews conta que, após construir uma carreira sólida em multinacionais, ele resolveu empreender e, juntamente com um sócio, criou a Datalege Consultoria Empresarial, que consiste na adequação de qualquer tipo de empresa aos requisitos da nova Lei Geral de Proteção de Dados. Segundo ele, os resultados obtidos têm sido muito positivos.

Com mais de 25 anos de experiência, Mario Toews aconselha aos novos empreendedores que desejam apostar em Curitiba sobre a importância de estudar o mercado, conhecer as demandas e avaliar o investimento a ser feito.

– Existem várias agências de fomento onde os novos empreendedores poderão se beneficiar com os incentivos oferecidos, inclusive pelo estado do Paraná. Uma recomendação, em especial para as startups, é buscar as aceleradoras e estar neste ambiente de criação e inovação. Em Curitiba, há vários destes espaços, muitas vezes, ligados à indústrias tradicionais, juntamente com instituições de ensino.

Leia também1 Produção industrial do Brasil aumenta 0,8% em outubro
2 Venda de veículos este ano já tem alta de 10% sobre 2018
3 FMI avalia que Brasil pode duplicar crescimento em 2020

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.