‘Nos dê um ano ou dois’, diz Guedes sobre indicadores

Ministro rebateu críticas da Folha de S. Paulo sobre o atual governo

Pleno.News - 12/08/2019 21h46

Ministro Paulo Guedes Foto: Agência Brasil/José Cruz

Após a publicação de levantamento do jornal Folha de S.Paulo, que afirmou ter ocorrido piora na maior parte dos indicadores do país nos primeiros meses da gestão de Jair Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta segunda-feira (12) que o país precisa de uma sequência de reformas. Ele também pediu um tempo para que os efeitos sejam observados.

Em discurso no Superior Tribunal de Justiça (STJ), Guedes falou sobre o desempenho da economia do país.

– Quebraram o setor elétrico, o setor de petróleo, os fundos de pensão e agora a economia parou. E agora, em cinco, seis meses ‘o Brasil não está andando. Culpa do novo governo’. Ora, senhores. Quem governou 30 anos o Brasil, a social-democracia, que fez muitas coisas boas, dê um ano ou dois – disse o ministro .

Segundo a Folha de S. Paulo, os indicadores que mais apresentam deterioração estão os de educação, saúde e meio ambiente. Já os dados oficiais reunidos pelo Ministério da Justiça apontam melhora nos índices de criminalidade. Na economia, há um equilíbrio.

– Dê uma chance de um governo de quatro anos para a liberal-democracia. […] Nós esperamos tantas vezes. Espera um pouquinho, espera quatro anos, vamos ver se melhora um pouco. Nos deem chance de trabalhar também – completou Guedes.

O ministro afirmou que a crise estrutural no Brasil leva pessoas a deixarem o país. Segundo ele, o movimento começou com a fatia mais rica da população e depois foi se ampliando.

– Está indo todo mundo embora, o menino prefere lavar prato em Barcelona, entregar pizza em Boston do que ficar no Brasil porque não há emprego. E os senhores acham que quem está criando esse desemprego foram esses quatro, cinco, seis meses de governo. Botem a mão na consciência e reflitam um pouco se não chegou o tempo das reformas – declarou.

*Folhapress

LEIA TAMBÉM+ Câmara não retoma CPMF de "jeito nenhum", diz Maia
+ Bolsonaro: Radares móveis acabarão na próxima semana
+ Rede de fast-food cristã lucra mais do que McDonald's


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo