CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Sobe inadimplência do cartão de crédito para quase 40%

Impostômetro de 2017 chega a R$ 1,7 trilhão de arrecadação

Em 2016, a marca foi alcançada apenas na segunda semana de novembro

Camille Dornelles - 18/10/2017 08h59 | atualizado em 18/10/2017 11h41

Impostômetro exposto na capital paulista, um dia antes de chegar a R$ 1,7 trilhão Foto: Fotos Públicas/Paulo Pinto

O Impostômetro alcançou R$ 1,7 trilhão no início desta quarta-feira (18). A marca foi divulgada pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), organização que faz o registro das arrecadações de dinheiro público.

A marca foi atingida mais cedo neste ano em comparação a 2016, quando foi registrada apenas em 11 de novembro. O montante vem do pagamento de impostos, taxas e tributos e começou a ser contado no dia 1º de janeiro.

O estado que mais contribuiu foi São Paulo, com R$ 63o,12 bilhões do montante, seguido por Bahia, com R$ 503,6 bi, Rio de Janeiro, com R$ 227,1 bi, e Distrito Federal, com R$ 130 bilhões. O presidente da ACSP, Alencar Burti, apontou que a arrecadação foi sentida pela população.

– Neste ano, a carga tributária pesou muito no bolso do consumidor; no entanto, a população não teve ganho real com isso – destacou.

Para a ACSP, o fato de os R$ 1,7 trilhão terem sido arrecadados mais cedo, neste ano, mostra um crescimento no giro de capital e também influência do aumento da inflação. A Associação espera que a lógica se mantenha até o final do ano e que o Impostômetro feche com marca superior à vista em 2016, que foi de R$ 2,004 trilhões.

LEIA TAMBÉM
+ Lei da meia-entrada: Quem tem direito ao benefício?
+ Sobe inadimplência do cartão de crédito para quase 40%
+ Setor de serviços apresenta retração no mês de agosto