Leia também:
X Governo entregará 2ª fase da reforma tributária nesta sexta

Guedes confirma que isenção do IRPF vai subir para R$ 2,5 mil

Ministro afirmou que medida deixará mais 8 milhões de brasileiros isentos do imposto

Pleno.News - 25/06/2021 13h36 | atualizado em 25/06/2021 17h17

Ministro Paulo Guedes entregou projeto que altera IRPF Foto: Câmara dos Deputados/Pablo Valadares

O ministros da Economia, Paulo Guedes, confirmou que a proposta de reforma tributária entregue nesta sexta-feira (25) pelo governo à Câmara dos Deputados aumentará a isenção do Imposto de Renda de R$ 1,9 mil para R$ 2,5 mil. De acordo com o ministro, isso elevará isenção para 8 milhões de brasileiros, deixando isentos um total de 16 milhões de assalariados.

Além disso, Guedes esclareceu que a proposta prevê a taxação de lucros e dividendos pagos por empresas e a redução de Imposto de Renda para empresas, que cairá 2,5% no primeiro ano e mais 2,5% no segundo ano.

– Damos sequência ao entendimento político a respeito de como seria processada a reforma tributária. Entregamos agora o segundo capítulo da reforma tributária. O Brasil aumentou impostos sobre empresas por 40 anos. O Brasil aumentou impostos sobre assalariados por 40 anos e não tributou rendimentos de capital – destacou.

De acordo com o ministro da Economia, a revisão na tabela do Imposto de Renda beneficiará um total de 30 milhões de brasileiros assalariados. Guedes afirmou que o aumento da isenção representa o cumprimento de uma promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro.

– [O] Presidente queria que [a] isenção fosse até R$ 3 mil, mas estamos com dificuldade de recursos. Isso é só o começo. Vamos fazendo as mudanças à medida que as finanças vão melhorando. Toda economia que temos com reforma de controle de gastos, queremos transmitir à população. Mas não há o menor risco de desequilibrarmos [as] finanças – ressaltou.

O ministro disse ainda que a integração da Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) com o ICMS cobrado pelos governos estaduais será abordada em comissão mista do Congresso. Ele também afirmou que, à medida que a arrecadação crescer acima do esperado, o Bolsa Família pode ser melhorado, e impostos podem ser reduzidos.

– Quando todos pagam, é possível que todos paguem menos, essa é a filosofia – completou Guedes.

*AE

Leia também1 TRF4 confirma pena de dois anos para ex-Polegar Rafael Ilha
2 Bolsonaro volta a se irritar com repórter: 'Volta pra faculdade'
3 AstraZeneca e Sputnik reduzem mortes em 80% com uma dose
4 Lira comemora alta de 10% em ações da Eletrobras
5 Sintomas da Covid mudaram após variantes, alerta estudo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.