Leia também:
X Governo aprova lei que libera volta de sorteios pela TV

Governo entrega texto da reforma tributária nesta terça

Congresso Nacional deve iniciar discussões já nesta quarta-feira

Camille Dornelles - 21/07/2020 10h38 | atualizado em 21/07/2020 10h41

Presidente Jair Bolsonaro e ministro Paulo Guedes Foto: Marcos Corrêa/PR

A reforma tributária está em discussão através de duas PECs (Proposta de Emenda à Constituição) propostas por parlamentares em 2019, além da reforma prometida pelo governo federal. O Ministério da Economia assegurou a apresentação da proposta até o fim desta semana ao Congresso Nacional. Segundo informações de integrantes do Congresso, ela será entregue em reunião na tarde desta terça.

Com isso, os parlamentares aguardam a união de forças do Poder Legislativo com o Executivo para conseguir colocar em prática a discussão da reforma. A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Reforma Tributária foi instalada em fevereiro e é presidida pelo senador Roberto Rocha (PSDB-MA) e o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) é o relator.

Nesta segunda-feira (20), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que Davi Alcolumbre, presidente do Congresso Nacional, irá anunciar a retomada dos trabalhos da reforma tributária nesta quarta-feira (22).

– Não adianta termos uma proposta na Câmara e outra no Senado sem ter a participação efetiva do governo. A palavra é conciliação. Uma conciliação da Câmara, do Senado e do Poder Executivo para entregarmos para a sociedade brasileira uma proposta que faça com que os empreendedores e a população possam se ver contemplados em uma reforma que vai melhorar a vida das pessoas – expressa.

O QUE DIZEM AS PECS
A primeira PEC apresentada sobre a reforma tributária é a 45/2019, da Câmara dos Deputados, que altera o Sistema Tributário Nacional. A outra é a PEC 110/2019, do Senado Federal. Ela prevê a extinção e a unificação de tributos e tem como eixo principal a criação do chamado Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS), que terá as características de um IVA.

A principal convergência entre as duas é a extinção de diversos tributos que incidem sobre bens e serviços. Eles seriam substituídos por um só imposto sobre o valor agregado (IVA). A unificação de impostos traz algumas vantagens: simplicidade na cobrança, diminuição da incidência sobre consumo e uniformidade nacional.

Há outras propostas de reforma tributária em análise, mas menos avançadas.

Leia também1 Guedes: "Reforma tributária está pronta para o Congresso"
2 Bolsonaro diz que proposta de Guedes "não é CPMF"
3 Guedes diz ter "missão" com o Brasil: "Só saio abatido à bala"
4 Guedes "detona" o PSDB em comentário sobre o Plano Real
5 Guedes se mostra otimista: "Vejo um futuro brilhante"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.