Leia também:
X Internet 5G impulsionará Brasil em áreas estratégicas, diz Faria

FGTS teve lucro de R$ 8,46 bilhões em 2020

Parte do resultado será distribuída aos trabalhadores

Pleno.News - 29/06/2021 21h08 | atualizado em 29/06/2021 21h10

FGTS teve lucro de R$ 8,46 bilhões em 2020 Foto: Divulgação/Caixa Econômica Federal

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) teve lucro de R$ 8,467 bilhões em 2020. O valor representa queda de 25,2% em relação ao lucro de 2019, que tinha somado R$ 11,324 bilhões. A queda deve-se principalmente à pandemia de Covid-19, que resultou em aumento do desemprego e na realização de uma rodada de saque emergencial de até um salário mínimo por conta no ano passado. As informações são da Agência Brasil.

Em 2020, o FGTS teve receitas de R$ 33,4 bilhões e despesas de R$ 25 bilhões. Os ativos consolidados somaram R$ 33,4 bilhões e o patrimônio líquido (ativos menos as obrigações) atingiram R$ 113,1 bilhões. O Fundo de Investimento do FGTS (FI-FGTS), que financia projetos de infraestrutura, registrou patrimônio líquido de R$ 25,4 bilhões e rentabilidade de 4,6%.

As contas e as demonstrações financeiras de 2020 foram aprovadas nesta terça-feira (29) pelo Conselho Curador do FGTS, órgão tripartite com representantes dos trabalhadores, dos empregadores e do governo. Parte do lucro do ano passado será distribuída nas contas de cada trabalhador, mas a fatia a ser repassada só será definida na próxima reunião do conselho, em julho.

RESOLUÇÕES
Nesta terça-feira, o conselho curador aprovou mais duas resoluções na reunião. O órgão estabeleceu as condições de renegociação de dívidas com o extinto Banco Nacional de Habitação (BNH) e com o FGTS. A aprovação da medida facilitará o enquadramento de garantias de devedores que contraíram operações de crédito com recursos do FGTS e do BHN e tentam renegociar os débitos.

Em outra resolução, o conselho curador aprovou a manutenção dos certificados de regularidade e dos parcelamentos já realizados por empresários que deixarem de depositar as parcelas do FGTS com vencimento entre abril e julho deste ano. No início da segunda onda da pandemia de Covid-19, o governo editou a Medida Provisória 1.046/2021, que suspendeu o recolhimento das contribuições do FGTS por quatro meses.

Leia também1 Internet 5G impulsionará Brasil em áreas estratégicas, diz Faria
2 Governo quer redução maior do Imposto de Renda para empresas
3 Guedes: Arrecadação recorde reflete retomada da economia
4 Aneel decide por reajuste de 52% na bandeira vermelha 2
5 Com R$ 142 bilhões, arrecadação tem melhor maio desde 2000

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.