Leia também:
X “É necessária uma atitude de quarentena”, diz Caetano

Conselho Federal de Psicologia recomenda sessões online

Profissionais que quiserem fazer sessão presencial precisam ficar a dois metros de distância

Camille Dornelles - 16/03/2020 11h16 | atualizado em 16/03/2020 11h42

Conselho de Psicologia pede que profissionais façam atendimentos online Foto: Pixabay

No sábado (14), o Conselho Federal de Psicologia publicou algumas recomendações para os profissionais da classe. Entre elas está optar pelos atendimentos à distância online ou em locais ventilados e a dois metros de distância de cada paciente.

O CFP decidiu implantar as recomendações do decreto da Organização Mundial da Saúde (OMS), que foram divulgadas na última quarta-feira (11), e que pedem o isolamento social. Além disso, o conselho orienta os psicólogos a darem apoio àqueles que podem ser colocados em quarentena ou que tenham suspeita da infecção.

As ações do psicólogo devem ainda orientar sobre aspectos de higiene; conscientizar sobre eventuais mudanças de hábitos e suas possíveis implicações emocionais; abordar implicações emocionais de uma possível quarentena e seguir as orientações da OMS.

NOTA DA CFP NA ÍNTEGRA
Diante da pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, reconhecida pelo decreto da Organização Mundial de Saúde (OMS), na última quarta-feira, dia 11 de março de 2020, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) reforça que constitui possibilidade de exercício profissional a atuação em emergências e desastres, em contextos clínicos, de assistência social e de políticas públicas. Nesse sentido, o CFP presta as seguintes orientações à categoria profissional:

A(O) profissional deverá observar recomendações do Ministério da Saúde, OMS, Secretarias de Saúde e autoridades civis sobre eventuais possibilidades de quarentena, resguardo, isolamento. Para fins laborais, deverá seguir a legislação vigente referente a atestado de afastamento;
Recomenda-se a prestação de serviços em locais ventilados, não fechados, que permitam manter distância de um a dois metros entre pessoas, se possível. Até o momento, não há orientação das autoridades para suspensão de atividades;
Caso a(o) profissional opte pela prestação de serviços psicológicos realizados por meios de tecnologia da informação e da comunicação, como o atendimento on-line, deverá seguir as orientações da Resolução CFP nº 11/2018, em especial a necessidade de realização de um cadastro prévio junto ao seu Conselho Regional de Psicologia (CRP);
Se houver dúvidas sobre o atendimento on-line ou sobre o cadastro, procure orientações junto ao respectivo CRP;
As ações da(o) psicóloga(o) devem contribuir para:
– orientar sobre aspectos de higiene que visem a minimizar riscos de contaminação;
– conscientizar sobre eventuais mudanças de hábitos e possíveis implicações emocionais advindas dessas mudanças;
– abordar, quando necessário, implicações emocionais de uma possível quarentena e de aspectos psicológicos do isolamento, em especial de pessoas idosas;
– exercer a profissão segundo os princípios do Código de Ética Profissional do Psicólogo, prestando informações precisas de modo a não causar pânico.

Medidas de prevenção
O CFP reforça, ainda, as recomendações da OMS sobre medidas de prevenção, tais como:

Lavar as mãos frequentemente com água e sabão;
Usar antisséptico de mãos à base de álcool gel 70%;
Ao tossir ou espirrar, cobrir boca e nariz com a parte interna do cotovelo, evitando usar as mãos;
Optar por lenços descartáveis;
Manter os ambientes ventilados, com janelas abertas;
Caso apresente os sintomas, procurar os serviços de saúde.

O CFP informa que, após tomar medidas preventivas internamente, estão mantidas as atividades internas e o funcionamento normal da Autarquia, porém, foram suspensas as atividades e eventos com maior número de participantes durante o mês de março. O Conselho está acompanhando as orientações das autoridades sanitárias para, assim, avaliar a necessidade de outras medidas a serem tomadas.

Para facilitar o acesso a informações sobre o coronavírus Covid-19 e combater a propagação de notícias falsas, o Ministério da Saúde desenvolveu aplicativos com dicas de prevenção, descrição de sintomas, formas de transmissão, mapa de unidades de saúde e até uma lista de notícias falsas que foram disseminadas sobre o assunto. Os aplicativos estão disponíveis para os sistemas operacionais iOS e Android.

A OMS também disponibilizou informações das principais dúvidas sobre a Covid-19 e a Fiocruz divulgou seu Plano de Contingência diante da pandemia do novo coronavírus.

Leia também1 Covid-19 pode dar sequelas a pulmões de pacientes curados
2 Globo vai tirar novela das 9 do ar por causa do coronavírus
3 Titi Müller deixa programa por causa do coronavírus

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.