Leia também:
X Procon proíbe venda de Del Valle Fresh no DF: “Não é suco”

Bomba de destruição, diz Guedes ao criticar encargos trabalhistas

Durante participação no Apas Show, ministro da Economia prometeu atacar o problema

Pleno.News - 16/05/2022 16h14 | atualizado em 16/05/2022 16h33

Ministro da Economia Paulo Guedes
Ministro da Economia Paulo Guedes Foto: PR/Alan Santos

O ministro da Economia, Paulo Guedes, classificou os encargos trabalhistas como “bomba de destruição em massa de empregos”. Em discurso na 36ª Edição da Apas Show, evento com empresários do setor de alimentos, ele voltou a prometer “atacar esse problema”.

– Temos que remover a bomba de destruição em massa de empregos, que são os encargos trabalhistas, vamos ter que atacar esse problema também – declarou Guedes, que reiterou sua defesa em torno da política econômica do governo.

De acordo com o ministro, o Brasil é percebido internacionalmente como “o caminho do futuro e da prosperidade”.

– A resiliência da economia brasileira, a capacidade de resistir pela flexibilidade que ela tem. Agora o mundo percebeu isso – defendeu.

E continuou:

– O Brasil surge como incontornável, é a obviedade. O Brasil está perto do mundo, é amigo e vai receber corrente de investimentos – acrescentou.

Guedes ainda prometeu “melhorar nossos programas de ascensão social” no país. A grande vitrine social do governo neste ano eleitoral é o Auxílio Brasil de R$ 400.

No entanto, como mostrou reportagem do jornal O Estado de S.Paulo e do Broadcast, o projeto está emperrado e tem fila de espera.

*AE

Leia também1 Tebet: "Mesmo se Doria não aceitar resultados, sigo firme"
2 Bolsonaro rebate Lula: "Por Deus do céu, eu nunca serei preso"
3 Ciclopasseata em homenagem a Lula conta com baixa adesão
4 Hang reage a Randolfe tentar impedir que PL audite as urnas
5 Eduardo Bolsonaro ironiza notícia sobre ser campeão de denúncias no Conselho de Ética

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.