Leia também:
X FGV: Auxílio reduziu pobreza ao menor nível em 40 anos

Em quais áreas do Brasil os chineses estão interessados?

Veja as áreas que mais chamam atenção do país asiático

Camille Dornelles - 28/07/2020 12h48 | atualizado em 28/07/2020 12h54

Cristo Redentor apareceu vestido com bandeira da China em abril Foto: Reprodução

Em uma entrevista live realizada pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide) em junho, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, confirmou que, mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, as atenções do país estão voltadas para investimentos. Ele afirmou que o interesse chinês sobre o Brasil tende a crescer.

– Queremos fazer operações bilaterais com o Brasil no contexto da pandemia do coronavírus. Vamos trabalhar para ampliar as parcerias bilaterais sino-brasileiras – revelou.

Segundo Yang, infraestrutura, agronegócio, energia e saúde são visados. A China é o maior parceiro comercial do Brasil desde 2009, mas muitas pessoas não sabem disso. Menos ainda sabem que os chineses investiram 100,5 bilhões de dólares no Brasil de lá para cá.

Uma preocupação do aumento da presença chinesa nas empresas e indústrias brasileiras está no maior controle do Partido Comunista Chinês

Para esclarecer, o Pleno.News mostra os setores que recebem os maiores investimentos chineses nos últimos dois anos. Os dados são da Câmara de Comércio Exterior (Camex), ligada ao Ministério da Economia.

Setores que receberam investimentos chineses Foto: Camex/Ministério da Economia

INTERESSE COMERCIAL
Segundo o mestre em Relações Internacionais Leonardo Braga, do IBMR, o Brasil é atrativo por ser um grande fornecedor de produtos primários.

– A China tem participado mais intensamente das relações internacionais a partir da virada do milênio. Isso tem orientado a busca por novos parceiros comerciais ao redor do globo, o que inclui a América Latina, de modo geral, e o Brasil, em particular. O interesse no Brasil se dá pelas características de nosso país àquilo que importa na questão: grande fornecedor global de produtos primários e demandante de capital e de bens capital – declarou ao Pleno.News.

O interesse no Brasil se dá por ser grande fornecedor global de produtos primários

AMEAÇA COMUNISTA
Uma preocupação do aumento da presença chinesa nas empresas e indústrias brasileiras está no maior controle do Partido Comunista Chinês. As empresas chinesas não são independentes do seu governo, que rege o país há 70 anos. Segundo o analista Kelsey Broderick, que falou à BBC, existem “comitês partidários que possam influenciar a tomada de decisões” dentro das empresas privadas. Com sua participação em empresas estrangeiras, há o conflito ideológico social.

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.