Leia também:
X Gás de cozinha sofre aumento após reajuste de distribuidoras

Eletrobras vai antecipar R$ 5 bilhões para aliviar conta de luz

Valor está previsto nas regras de privatização

Monique Mello - 01/09/2021 18h17

Eletrobras será privatizada Foto: Reprodução

Por determinação do governo federal, a Eletrobras vai antecipar R$ 5 bilhões à CDE (Conta de Desenvolvimento Energético) em 2022. A finalidade reduzir o impacto do reajuste nas contas de luz causado pela crise hídrica, o que motivou a criação de uma nova bandeira tarifária.

A medida foi aprovada durante uma reunião extraordinária do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) e divulgada pelo Ministério de Minas e Energia na noite desta terça-feira (31).

De acordo com nota do Ministério de Minas e Energia, a parcela integra os R$ 29,8 bilhões que devem ser atendidos à CDE, conforme previsto nas regras de privatização da Eletrobras, caracterizada a chamada modicidade tarifária, por um período de 25 anos. Os pagamentos devem ser feitos de forma escalonada ao longo do tempo.

– O objetivo é mitigar potencial impacto tarifário oriundo da descontratação da energia das usinas cotistas [da Eletrobras], prezando, assim, pela neutralidade tarifária – disse o ministério.

Os recursos virão da capitalização por acionistas privados, modelo previsto no processo de privatização da estatal. É previsto o pagamento de uma outorga ao Tesouro Nacional pelas concessões de uso das usinas hidrelétricas, que sairão do atual regime de cotas, que só remunera operação e manutenção, para o de produção independente de energia.

 

Leia também1 Mourão contradiz ministro e fala que há risco de racionamento
2 Governo fala em esforço 'inadiável' de redução do consumo de energia
3 Ministro de Minas e Energia fará pronunciamento em rádio e TV
4 No PR, bandidos invadem banco e explodem caixas eletrônicos
5 Contas de luz em setembro terão bandeira vermelha no patamar 2

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.