Leia também:
X TCU determina que militares devolvam R$ 600 de auxílio

Atrasos nos Correios causam transtornos para brasileiros

Entregas foram prejudicadas por causa da pandemia da Covid-19

Camille Dornelles - 14/05/2020 13h33

Correios enfrentam reclamações e denúncias de atrasos Foto: Reprodução

Os Correios foram um dos serviços públicos que mais receberam reclamações de clientes no último mês. O portal Reclame Aqui, que concentra as críticas dos consumidores, registrou um aumento de denúncias de atraso de entregas e a avaliação do serviço caiu para 3,6 de 10 pontos.

Só em um mês a plataforma recebeu mais de mil reclamações por demora na entrega. O atraso é um dos reflexos das mudanças realizadas no funcionamento dos Correios.

Desde o dia 20 de março, a empresa adotou medidas de proteção aos funcionários que reduziram as entregas, como entrega e a coleta de malotes simultaneamente em única visita diária, afastamento imediato de funcionários com sintomas e do grupo de risco e redução do período de atendimento a clientes.

Mesmo assim, atrasos de mais de um mês, como relatados por clientes, parecem inaceitáveis. Os Correios, por meio de nota, justificaram-se pelo fato do contingente de entregas Sedex e PAC ter sido reduzido e que outros serviços foram suspensos.

– Em decorrência das medidas contra o coronavírus (Covid – 19) em vários países, não há como garantir o cumprimento do prazo de entrega dos envios internacionais (veja lista com os países que estão com os serviços afetados). Estão prejudicados tanto o encaminhamento como a distribuição pela diminuição ou mesmo falta de voos, diminuição da quantidade de empregados alocados nas atividades de distribuição de objetos postais e até mesmo suspensão da entrega. Com relação as importações, em alguns casos a carga está com encaminhamento comprometido desde a origem, e está sendo mantido o contato com os correios do exterior para otimizar os envios. Correios estão buscando soluções para manter os serviços em andamento, contudo faz-se necessário suspender ou restringir a aceitação de postagem para alguns destinos – declara o serviço.

ESTADOS PREJUDICADOS
As denúncias vêm de vários estados, como Bahia, Ceará, Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Sul, mas a maior concentração é de cidades dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro e a frequência das reclamações dessas regiões aumentou no mês de maio.

Abaixo, é possível entender melhor sobre a indenização por problemas nas entregas e o que fazer neste momento.

Correios são considerados serviços essenciais Foto: Divulgação

COMO FUNCIONAM AS INDENIZAÇÕES DOS CORREIOS
Os Correios indenizam o cliente pelo atraso ou avariações ao produto, seguindo uma tabela de valores que depende do tipo de serviço contratado.

É considerado atraso quando a entrega, primeira tentativa de entrega ou disponibilização da encomenda para retirada, tenha ocorrido após o prazo estabelecido para o serviço contratado.

INDENIZAÇÃO SUSPENSA NA PANDEMIA
Na pandemia do novo coronavírus, porém, o pagamento de indenizações foi suspenso.

– A empresa informa ainda que estão suspensos os serviços premium, Marketing Direto e Telegrama, bem como o pagamento de indenizações por atraso para todos os serviços nacionais e internacionais, por motivo de força maior – aponta nota da empresa.

CLIENTE PODE ACIONAR PROCON
O Procon dos estados e o Ministério Público estão sendo acionados e avaliando caso a caso os pedidos dos clientes por indenização. Os órgãos podem obrigar o serviço a ressarcimentos e multas. O importante é o cliente registrar uma reclamação logo que o prazo de entrega for expirado.

Na cidade de Petrópolis, Região Serrana do Rio de Janeiro, por exemplo, o Procon obrigou um Centro de Entrega de Encomendas a pagar uma multa de R$ 526 mil após ter sido alvo de diversas denúncias.

A Justiça também já obrigou os Correios a indenizarem os clientes individualmente em alguns casos apontados como graves, como o atraso na entrega de um documento necessário para a matrícula em faculdade, atraso na entrega de um anel de noivado e na entrega de medicamento essencial à saúde do destinatário.

Leia também1 Veja quem poderá receber a ajuda emergencial do governo
2 Guedes quer acelerar plano de R$ 150 bi em privatizações
3 Menina que troca máscara por comida no RJ gera comoção

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.