Leia também:
X ‘MP da Liberdade Econômica pode dobrar o PIB’, diz estudo

‘Congresso está começando a entender a música chegando’

Guedes fez avaliações sobre reformas

Ana Luiza Menezes - 14/08/2019 17h28

Ministro Paulo Guedes Foto: Agência Brasil/José Cruz

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse a um grupo de representantes de entidades liberais, na manhã desta quarta-feira (14), que “o Congresso está começando a entender a música que está chegando”. Ele se referiu às iniciativas propostas pela sua pasta nos oito primeiros meses do governo Jair Bolsonaro (PSL).

– [É] Uma música boa. Eles estão gostando de cantar essa música”, afirmou o ministro. “[Eles, o Congresso] Estão abraçando as reformas. Isso é um avanço espetacular para a nossa causa. Acho que o país está maduro com essas mudanças que nós estamos fazendo. E não vamos parar – disse.

Guedes depois citou verso da canção No Surrender, do cantor americano Bruce Springsteen.

– Durante a nossa transição [de gestão do governo federal], entre nós, brincávamos sempre com uma música. Acho que era o Bruce Springsteen, aquele roqueiro lá, americano. O verso era mais ou menos assim: ‘We made our promisses/ We will always remember/ No retreat/ No surrender’. Quer dizer, nós assumimos o nosso compromisso, nós vamos sempre nos lembrar e não vamos recuar .

Ele se reuniu na sede do Ministério, em Brasília, com cerca de 60 membros de grupos como o Instituto Brasil 200, o Instituto Millenium e o Instituto de Formação de Líderes. A reunião foi convocada por Paulo Uebel, secretário de Desburocratização do governo federal.

No encontro, o ministro agradeceu aos presentes, que chamou de sua “tribo liberal”, pelo trabalho de apoio à aprovação da MP da Liberdade Econômica. Nos seus cerca de 40 minutos de fala, ele também traçou um panorama de outras iniciativas e projetos propostos pela pasta.

– Estamos abrindo a economia, reduzindo a máquina do estado, privilegiando o cidadão. Vamos fazer a reforma tributária, fazer as privatizações – disse ele.

Em sua avaliação, o trabalho ainda está começando.

– Demos só o passo inicial na [reforma da] Previdência. Está todo todo mundo feliz, mas nós não estamos ainda. Achamos que foi só um passo inicial. Agora nós vamos para a [reforma] tributária. Não resolvemos ainda o problema de geração de empregos aos milhões e de acumulação de capital, que o Brasil precisa. Então esses dois itens estão faltando aí. O choque do gás nasceu de um amigo também que nos procurou e falou: ‘Olha, tem que quebrar esse negócio desse monopólio público’. E isso vira uma medida. Nós começamos a trabalhar, uns cinco, seis sete meses, tudo o que estamos fazendo tem esse pano de fundo.

Guedes também traçou um paralelo entre o passado e o presente do pensamento econômico liberal no Brasil.

– Eu me lembro de 40 anos atrás […] realmente, eram pouquíssimos os liberais. Cabiam em uma kombi – brincou o ministro.

*Folhapress/Mônica Bergamo

Leia também1 'MP da Liberdade Econômica pode dobrar o PIB', diz estudo
2 Reforma da Previdência começa a tramitar no Senado
3 Oportunidade: Concursos no estado de SP têm 449 vagas

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.