Leia também:
X Planos de saúde: Defensoria quer suspender reajuste em 2021

Caminhoneiros aprovam decisão de Bolsonaro de isentar diesel

No entanto, categoria pede solução definitiva

Pleno.News - 19/02/2021 16h41 | atualizado em 19/02/2021 16h53

Caminhoneiros aprovam decisão de Bolsonaro de isentar diesel Foto: Agência Brasil

A decisão do presidente Jair Bolsonaro de zerar a cobrança de PIS, Cofins e Cide sobre o preço do óleo diesel foi bem recebida pelos caminhoneiros. Eles entendem, no entanto, que se trata de uma medida paliativa, enquanto não se encontra uma solução definitiva. Em live feita na quinta-feira (18), o presidente afirmou que, a partir de 1º de março, não haverá cobrança de nenhum imposto federal sobre o diesel por dois meses.

Para Aldacir Cadore, uma das lideranças do Comando Nacional dos Transportes (CNT), a forma de reajuste da Petrobras é muito prejudicial aos caminhoneiros.

– Imagina um motorista que sai do Rio Grande do Sul para o Nordeste, numa viagem que pode durar 25 dias. Ele sai de casa com o litro do combustível num preço e volta com outro bem diferente – diz ele, explicando sobre a imprevisibilidade no orçamento.

Segundo ele, até 2018 os autônomos representavam cerca de 6% do consumo de diesel. Hoje esse porcentual está em torno de 4%. Na avaliação de Cadore, desde a greve que paralisou o país, em 2018, empresas de diferentes setores adotaram medidas para aumentar suas frotas, reduzindo o trabalho dos caminhoneiros autônomos.

O presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), Wallace Landim, o Chorão, é mais pessimista em relação à decisão do presidente de zerar momentaneamente a cobrança de impostos federais, para resolver os problemas do setor.

– Se em dois anos o governo não conseguiu encontrar uma solução para reduzir o massacre que o setor está sofrendo, em dois meses será muito difícil – avaliou Landim.

Segundo ele, há uma serie de reivindicações feitas pelos caminhoneiros nos últimos anos ainda pendentes de solução em Brasília, como as ações de inconstitucionalidade da tabela do frete, que está no Supremo Tribunal Federal (STF).

*Estadão

Leia também1 Ministro Bento Albuquerque é cotado para assumir Petrobras
2 "Anuncio que teremos mudança, sim, na Petrobras", diz Bolsonaro
3 Bolsonaro zera imposto do diesel por dois meses a partir de março
4 Bolsonaro zera imposto federal no gás de cozinha 'para sempre'
5 Em PE, Bolsonaro vai a teste de comportas no rio São Francisco

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.