Leia também:
X Centro de Treinamento de Pilotos da Varig vai a leilão

Bolsonaro sobre prorrogação do auxílio: ‘Pergunta para o vírus’

Presidente também disse esperar que o coronavírus esteja "de partida do Brasil"

Ana Luiza Menezes - 24/11/2020 21h42 | atualizado em 25/11/2020 07h33

Presidente Jair Bolsonaro Foto: PR/Alan Santos

Questionado sobre a possibilidade de prorrogar auxílio emergencial, nesta terça-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro disse esperar que a medida não seja necessária. Ele torce também para que o coronavírus esteja “de partida do Brasil”.

– Pergunta para o vírus. A gente se prepara para tudo, mas tem que esperar certas coisas acontecerem. Esperamos que não seja necessário porque é sinal de que a economia vai pegar e não teremos novos confinamentos no Brasil. (…) Então, a gente espera que não seja necessário [a prorrogação do auxílio] e que o vírus esteja realmente de partida do Brasil – declarou.

Em uma avaliação, Bolsonaro destacou ainda que se não fosse a liberação do auxílio, entre outras medidas, “a economia tinha quebrado no Brasil”.

Na segunda-feira (23), o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo federal não pretende prorrogar o auxílio, que terá sua última parcela, em dezembro.

– A ideia é que o auxílio emergencial se extingue no final do ano. A economia está voltando forte, a doença está descendo. Eu não estou dizendo duas ou três semanas. Eu estou dizendo, de 1,3 mil, 1,4 mil mortes diárias, a coisa caiu para 300, 250. Agora, parece que voltou para 350. É uma tragédia de dimensões imensas, é terrível essa epidemia que abateu sobre o Brasil […]. Contra evidência empírica, não há muito argumento. Os fatos são que a doença cedeu bastante e a economia voltou com muita força – afirmou Guedes.

Leia também1 Governo não prevê prorrogação do auxílio emergencial
2 Petrobras divulga edital para soluções de rápida implantação
3 Procon-RJ publica lista de sites de vendas não recomendados
4 Aneel propõe suspender reajuste de tarifas no Amapá por 60 dias
5 Pandemia: Energia, telefonia e bancos lideram reclamações

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.