Leia também:
X Copom faz novo corte e taxa de juros cai para 2% ao ano

Bolsonaro sanciona lei que facilita negociação de dívidas

Projeto beneficia micro e pequenas empresas inscritas no Simples Nacional

Pleno.News - 05/08/2020 19h25 | atualizado em 05/08/2020 19h26

Presidente Jair Bolsonaro Foto: PR/Isac Nóbrega

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quarta-feira (5) um projeto de lei que permite a renegociação de dívidas de micro e pequenas empresas inscritas no Simples Nacional com o governo. O presidente anunciou a sanção numa live acompanhado por parlamentares que trabalharam na tramitação da proposta no Congresso Nacional.

A proposta agora sancionada pelo presidente permite que as empresas optantes do Simples Nacional renegociem suas dívidas através da chamada transação tributária, que permite a celebração de acordo para a extinção do passivo.

Essa possibilidade já existia para empresas que deviam impostos federais, mas não se estendia ao regime especial de tributação do Simples. Assessor especial do Ministério da Economia, o ex-ministro Guilherme Afif afirma que hoje há cerca de 1,3 milhão de micro e pequenas empresas com débitos referentes ao Simples inscritos na dívida ativa da União, num montante que chega a R$ 116 bilhões.

– Essa transação tributária vai dar condições a eles [pequenos e micro empresários] de fazerem uma negociação combinada com o governo sem aquela história de isenta tudo como é o Refis – disse o senador Jorginho Mello (PL-SC), relator da medida no Senado, que participou da live com Bolsonaro.

– Sancionamos mais um projeto de apoio aos pequenos negócios! – O PLP 9/2020 permite a micro e pequenas empresas enquadradas no Simples Nacional renegociar tributos com a União.

Posted by Jair Messias Bolsonaro on Wednesday, August 5, 2020

O Palácio do Planalto ainda não forneceu informações oficiais sobre a proposição, mas o senador afirmou que o presidente sancionou integralmente o texto.

– [Foram] várias medidas propostas pelo governo, desde o início da pandemia. Já que atribuição de medidas restritivas, segundo o Supremo, coube a estados e municípios. Então estamos basicamente fechando o leque de atendimento para a manutenção do emprego no Brasil – disse Bolsonaro.

O texto foi aprovado por unanimidade pelo Senado em meados de julho. A redação também amplia prazos para que micro e pequenas empresas façam a opção pelo Simples.

– Neste momento é uma coisa muito importante, principalmente para as milhões de empresas que estão em dificuldade e que agora sabem que têm uma mão que possa auxiliá-las – disse Afif.

*Folhapress

Leia também1 Copom faz novo corte e taxa de juros cai para 2% ao ano
2 Eduardo Bolsonaro celebra recorde da balança comercial
3 "Brasil não aguenta muito tempo de auxílio", diz Guedes
4 Afiliada da Globo promove demissão em massa em SP
5 Banco Central escolhe cinza como a cor da nota de R$ 200

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.